Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/121003
Author(s): Maria Inês Cardoso Monteiro de Oliveira Marinho
Title: Intenções parentais, vias para a parentalidade e experiências no contexto de saúde de pessoas trans
Issue Date: 2019-07-04
Description: Pouca investigação se tem debruçado sobre a temática da parentalidade em pessoas transou não binárias, sobretudo no contexto português. O presente estudo procura explorar asintenções parentais e as vias privilegiadas para alcançar a parentalidade em pessoasautoidentificadas como trans ou não binárias. Para além disso, visa compreender o modocomo os serviços de saúde estão a contribuir para a realização destas intenções, através doestudo das experiências destas pessoas nos serviços de saúde, quer ao longo do processo detransição de género, quer relativamente à informação recebida sobre a perda e preservaçãode fertilidade. Este é um estudo com metodologia qualitativa, tendo-se socorrido de quatrogrupos de discussão focalizada enquanto método de recolha de dados, e da análise deconteúdo para o seu posterior tratamento. Participaram no estudo treze pessoasautoidentificadas como trans e uma pessoa como não binária, com idades compreendidasentre os 19 e os 43 anos e orientação sexual diversa. Da análise emergiram como categoriasprimárias a Intenção parental, as Vias para a parentalidade e as Experiências com o serviçode saúde. Verificou-se que metade dos/as participantes da amostra desejavam tornar-sepais/mães no futuro e que a grande maioria dos restantes apresentava uma posição indefinidaquanto a esta temática. A adoção foi o método privilegiado pela amostra entre as vias paraalcançar a parentalidade, contrariamente ao método tradicional de reprodução. Todos/asos/as participantes relataram ter sido informados/as sobre as consequências reprodutivasrelacionadas com os procedimentos de transição de género. Uma percentagem inferior foiesclarecida sobre a possibilidade de preservação de fertilidade, ainda que a maioria daamostra não ponderasse efetivamente usufruir dessa opção. A morosidade dosprocedimentos médicos, a baixa formação dos profissionais para trabalhar com pessoas transe a utilização de terminologia cis e pronomes inadequados à identidade de género foram osaspetos mais realçados pelos participantes enquanto promotores de experiências negativasvivenciadas nos serviços de saúde ao longo dos seus processos de transição de género e deredesignação sexual. Os resultados deste estudo exploratório permitiram uma análise dasintenções parentais e da experiência com os serviços de saúde com pessoas trans, sugerindoalgumas diretrizes para a investigação e intervenção futuras com esta população específica.
Subject: Psicologia
Psychology
Scientific areas: Ciências sociais::Psicologia
Social sciences::Psychology
TID identifier: 202262570
URI: https://hdl.handle.net/10216/121003
Document Type: Dissertação
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
341552.pdfIntenções parentais, vias para a parentalidade e experiências no contexto de saúde de pessoas trans1.06 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.