Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/129358
Author(s): Mariana Catarina Martins Pinto
Title: Stress ocupacional em equipas de intervenção permanente (EIP): uma vivência coletiva
Issue Date: 2020-07-22
Description: O stress ocupacional é um fenómeno que pode ser encarado e interpretado como uma experiência coletiva (Peiró, 2001). Partindo do pressuposto de que os bombeiros têm uma das profissões mais suscetíveis ao desenvolvimento de stress ocupacional (Murta & Tróccoli, 2007) e tendo em consideração que as EIP são equipas de trabalho constituídas por bombeiros, pretende-se explorar e descrever o stress ocupacional coletivo percecionado por estes profissionais no contexto destas equipas. Considerando uma perspetiva multinível no estudo do stress ocupacional, optou-se pela utilização do modelo holístico de stress (Nelson & Simmons, 2003; Nelson & Simmons, 2011; Simmons & Nelson, 2007), que representa a abordagem individual desta temática, e dos estudos sobre a vivência coletiva das equipas de trabalho em relação ao fenómeno em estudo. Através de um estudo de caso múltiplo embutido (Yin, 2018), procurou-se considerando duas EIP: (1) Identificar as principais fontes de stress ocupacional coletivo nas EIP; (2) Analisar as estratégias utilizadas pelos bombeiros nas EIP para lidar com o stress ocupacional; e (3) Compreender as consequências do stress ocupacional coletivo para os bombeiros nestas equipas. As informações recolhidas pela técnica de entrevista semiestruturada foram posteriormente sujeitas à análise de conteúdo temática (Bardin, 2014), com recurso ao software NVivo 12 (QSR). Os resultados indicam que o stress ocupacional coletivo é vivenciado pelos elementos das EIP participantes do estudo, sendo predominantes nas duas equipas as respostas de distress. As condições de trabalho e o reconhecimento pelo trabalho desempenhado, principalmente por parte dos colegas de equipa/profissão, formam as fontes de distress e eustress, respetivamente, mais referidos pelos participantes da EIP1 e da EIP2. Verificou-se ainda que, nas duas equipas os bombeiros recorrem principalmente a estratégias de coping focadas nas emoções para lidar com as situações de distress. Além disso, são referenciadas essencialmente consequências negativas da vivência coletiva de stress ocupacional nomeadamente, a deterioração da qualidade dos serviços prestados. Contudo, apesar da satisfação pelo trabalho desempenhado ser a única consequência positiva, foi mencionada por todos os bombeiros das duas EIP o que evidencia a sua importância para o coletivo. Estes resultados podem constituir o ponto de partida para estudos futuros acerca do stress ocupacional coletivo em diversas equipas de trabalho e dos seus efeitos na saúde e bem-estar dos trabalhadores que as constituem.
Subject: Psicologia
Psychology
Scientific areas: Ciências sociais::Psicologia
Social sciences::Psychology
TID identifier: 202511529
URI: https://hdl.handle.net/10216/129358
Document Type: Dissertação
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
422609.pdfStress ocupacional em equipas de intervenção permanente (EIP): uma vivência coletiva722.74 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.