Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/112945
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorFilipa Daniela Martins Silva
dc.date.accessioned2019-02-03T19:13:51Z-
dc.date.available2019-02-03T19:13:51Z-
dc.date.issued2018-07-06
dc.date.submitted2018-07-13
dc.identifier.othersigarra:273545
dc.identifier.urihttps://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/112945-
dc.descriptionAtualmente, os principais papéis assumidos por um indivíduo adulto são a família eo trabalho, podendo por vezes estes papéis entrar em conflito. No que diz respeito àvertente do trabalho, têm sido vários os autores que fazem referência ao burnout como umfenómeno que afeta as profissões que prestam serviços, surgindo os psicólogos como umgrupo propenso ao burnout, sobretudo na sua dimensão da exaustão emocional.Este estudo tem como objetivos conhecer: os níveis de burnout e de conflitotrabalho-família em psicólogos, a relação entre estas duas variáveis e a influência decaracterísticas sociodemográficas e profissionais.Foram aplicados um breve questionário sociodemográfico, o Oldenburg BurnoutInventory (OLBI; Halbesleben & Demerouti, 2005; Campos, Carlotto & Marôco, 2012) e oSurvey Work-Home interaction NijmeGen (SWING; Guerts et al., 2005; Pereira et al.,2014) a 204 psicólogos portugueses, com idades entre 23 e 62 anos (M= 36,86 anos),sendo 16% do sexo masculino e 84% do sexo feminino. Em relação à área de experiênciaprofissional, verificou-se que 60% da amostra trabalha na área de Clínica e Saúde, 10% naárea de Organizações, Social e Trabalho, 24% na área de Educação e 6% na área doComportamento Desviante, com média de 11,23 anos de experiência profissional e estandoem contacto com clientes em média 27,20 horas semanais.Os resultados revelam nível moderado de burnout e nível baixo de conflitotrabalho-família, existindo correlação positiva entre burnout e conflito negativo. O númerode horas no trabalho está correlacionado positivamente com o conflito e existem diferençassignificativas no conflito trabalho-família negativo em função do sexo (superior no sexofemínino) e existência de filhos (profissionais com filhos apresentam maior conflito). Aárea da Psicologia das Organizações, Social e do Trabalho é aquela em que os psicólogosreferem maiores níveis de burnout e conflito trabalho-família negativo, por oposição à áreade Clínica e Saúde.O estudo pode contribuir para demonstrar que o psicólogo é também um serhumano que pode apresentar exaustão no trabalho, alertando para a necessidade deexplorar as dificuldades e a motivação destes profissionais, numa profissão ainda tãopouco investigada pela própria Psicologia e que tem vindo a ganhar importância crescentena sociedade.
dc.language.isopor
dc.rightsopenAccess
dc.subjectPsicologia
dc.subjectPsychology
dc.titlePara além do ser psicólogo: burnout e conflito trabalho-família em psicólogos
dc.typeDissertação
dc.contributor.uportoFaculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
dc.identifier.tid201969882
dc.subject.fosCiências sociais::Psicologia
dc.subject.fosSocial sciences::Psychology
thesis.degree.disciplineMestrado Integrado em Psicologia
thesis.degree.grantorFaculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
thesis.degree.grantorUniversidade do Porto
thesis.degree.level1
Appears in Collections:FPCEUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
273545.pdfPara além do ser psicólogo: burnout e conflito trabalho-família em psicólogos950.77 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.