Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/108611
Author(s): Marta Oliveira Moreira Novo
Title: Foi bom termos arriscado!: a narrativa da díade parental na adoção de crianças mais velhas
Issue Date: 2017-11-15
Description: Na adoção, em geral, e na adoção de crianças mais velhas, em particular, o sistemafamiliar confronta-se com diversos desafios após a chegada da criança, como o período deadaptação, a comunicação com esta sobre o seu passado e, o maior de todos, a construção deuma relação afetiva. Este estudo pretende compreender o processo de construção dasrelações em famílias adotivas de crianças mais velhas. Propõe ainda conhecer o processocomunicacional sobre a adoção e as ideias dos pais acerca da adoção tardia.Foram realizadas entrevistas a 7 díades parentais adotivas de crianças mais velhas.As crianças adotadas tinham entre 4 e 9 anos no momento da entrevista aos pais adotivos,variando o tempo de adoção de 6 meses a 5 anos. As entrevistas foram realizadas nodomicílio das famílias participantes, posteriormente transcritas e submetidas a uma análisede conteúdo através da grounded theory. A partir do sistema de categorias emergentes e dasmacrocategorias, foi redigido um texto descritivo da perspetiva dos pais acerca dasvivências familiares na adoção de crianças mais velhas.Os resultados evidenciaram que a criança, numa fase inicial, pode manifestar a suainsegurança através de diferentes comportamentos, que variam desde oposição/desafio, ainibição das suas necessidades emocionais e afastamento face às figuras parentais.Verificou-se que a criança tende a aproximar-se inicialmente de um dos elementos do casal,o pai, e a afastar-se da figura materna, oferecendo resistência às suas tentativas deaproximação. Estes comportamentos de desafio e oposição à mãe tendem a desvanecer-secom o tempo, estabelecendo-se a funcional triangulação, prevista por Bowen. Da aberturada comunicação sobre adoção, destacou-se que a iniciativa parte das crianças ou, casocontrário, o assunto não é abordado, sugerindo a dificuldade de ser enfrentado este tema porparte dos pais, embora seja referida a importância de falar com naturalidade sobre o assunto.Face às ideias sobre adoção de crianças mais velhas, os pais adotivos aconselhariam outrasfamílias a arriscar nesta modalidade de adoção, evidenciando como vantagem não terem derevelar a adoção, por esta ser conhecedora da sua história, e compreenderem melhor acriança, por esta ser capaz de expressar verbalmente as suas necessidades.Deste estudo, resulta uma narrativa tipo da vivência familiar na adoção de criançasmais velhas, que espelha, por um lado, a complexidade deste fenómeno e, por outro, aperspetiva positiva dos pais adotivos face à adoção. Tal poderá ser útil para os profissionaisno apoio às famílias adotivas, na fase de pré e de pós-adoção, e na formação dos candidatosà adoção, constituindo um apelo à adoção de crianças mais velhas, tão preocupantementerelegadas para o grupo de crianças "com necessidades adotivas particulares".
Subject: Psicologia
Psychology
Scientific areas: Ciências sociais::Psicologia
Social sciences::Psychology
TID identifier: 201831082
URI: https://hdl.handle.net/10216/108611
Document Type: Dissertação
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
228244.pdfFoi bom termos arriscado!: a narrativa da díade parental na adoção de crianças mais velhas3 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.