Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/98968
Author(s): João Marques Teixeira
A. Pereira
A. Silva
A. Marieiro
J. Humberto
M. Guerreiro
Title: Caracterização de doentes portugueses com esquizofrenia: resultados da avaliação do estudo observacional SOHO no início do estudo
Issue Date: 2005
Abstract: Design: Non-interventional, prospective, outpatient observational study of the treatment of schizophrenia in 10 European countries including Portugal. Patients initiating or changing antipsychotic medication for the treatment of schizophrenia, presenting within the normal course of care in an outpatient setting, had at least 18 years of age, and that were non participating in any other interventional study were included. Patients was to be followed for a period of 3 years. Results: A total of 30 Portuguese physiatrists participated in the study and enrolled 160 eligible patients. Mean age was 36.5 and 65.6% were males. There was a high prevalence of housing dependency and unemployment. Treatment cohorts were similar in almost all characteristics. Patients being prescribed with typicals had a more favourable work status, and appeared to have a better health state rather than the remaining cohorts. Notwithstanding, past history of substance abuse was also more likely in this cohort. Olanzapine showed a trend of being prescribed to patients with a less frequent history of inpatient admissions.
Description: Objectivo: Descrever as características da amostra de doentes com esquizofrenia incluídos no estudo SOHO, em Portugal, aquando do início do estudo. Métodos: Estudo não intervencional, prospectivo, observacional, em doentes com esquizofrenia, tratados em ambulatório, em dez países europeus. Foram incluídos doentes que iniciaram ou alteraram a medicação antipsicótica para o tratamento da esquizofrenia, que se tratavam em cuidados de ambulatório, com pelo menos 18 anos de idade e que não estavam a participar noutro estudo observacional. Os doentes foram seguidos por um período de 3 anos. Resultados: Trinta psiquiatras portugueses participaram no estudo, incluindo um total de 160 doentes elegíveis. Os doentes apresentavam uma idade média de 36,5 anos e 65,6% eram do sexo masculino. Registou-se uma elevada percentagem de doentes dependentes da família e desempregados. Os grupos de tratamento mostraram-se semelhantes quanto à maioria das características no início do estudo. Os doentes tratados com antipsicóticos típicos pareciam ter um estatuto profissional mais favorável e um melhor estado de saúde do que os doentes tratados com outras terapêuticas. No entanto, o abuso de substâncias mostrou-se mais prevalente neste mesmo grupo. Verificou-se uma tendência para a prescrição de olanzapina a doentes com uma história de menor número de internamentos. Conclusão: Os doentes com esquizofrenia em tratamento incluídos neste estudo eram sobretudo jovens do sexo masculino, com um tempo de tratamento de aproximadamente dez anos, com um ligeiro excesso de peso, não vitimizados e predominantemente dependentes das famílias.
Subject: Psiquiatria
Psychiatry
URI: https://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/98968
Document Type: Artigo em Revista Científica Nacional
Rights: restrictedAccess
Appears in Collections:FPCEUP - Artigo em Revista Científica Nacional

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
81909.pdf
  Restricted Access
5.16 MBAdobe PDF    Request a copy from the Author(s)


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.