Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/9544
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.coverage.spatialPortopt_PT
dc.creatorMoreira, Rui Augustopt_PT
dc.date.accessioned2009-05-14T13:38:14Zpt_PT
dc.date.accessioned2012-06-26T17:34:14Z-
dc.date.available2009-05-14T13:38:14Zpt_PT
dc.date.available2012-06-26T17:34:14Z-
dc.date.issued2001pt_PT
dc.identifier.other4915_TMpt_PT
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10216/9544pt_PT
dc.descriptionDissertação de Mestrado em Medicina apresentada à Faculdade de Medicina da Universidade do Portopt_PT
dc.description.abstractOs filhos de alcoólicos, nascem e crescem numa família em que o álcool pode determinar um conjunto de adaptações decorrentes da irregularidade de comportamentos de um dos seus membros, mais habitualmente o pai. Apresentam frequentemente sintomas psicopatológicos, nomeadamente, hiperactividade, perturbações do comportamento, consumo precoce de álcool e outras substâncias, disfunções cognitivas, problemas de aprendizagem, sintomas de ansiedade e depressão, quando comparados com filhos de não alcoólicos. Os problemas familiares desencadeadores de stress, desde os conflitos conjugais, às consequências da alcoolização, sejam sociais ou económicas, parecem favorecer o aparecimento destas perturbações na descendência, contudo as correlações entre alcoolismo parental e a psicopatologia infantil não são espúrias. Tendo por objectivo estudar as possíveis diferenças entre filhos de alcoólicos e de não alcoólicos, nas variáveis antropométricas, nas dimensões cognitiva (rendimento escolar e aptidões intelectuais), vivências de sofrimento (nomeadamente sintomatologia depressiva e ansiosa) e repercussões ao nível relacional, foram avaliadas, numa Escola do ensino básico de Vila do Conde, 170 crianças de ambos os sexos, de idades compreendidas entre os 6 e os 11 anos, 60 das quais filhas de alcoólicos, 30 filhas de bebedores excessivos e 80 controlos, sendo utilizada uma bateria de instrumentos para avaliação psicométrica.Foi possível verificar neste universo, que os filhos de alcoólicos consumiam bebidas alcoólicas mais cedo, tinham menos peso e altura, bem como menor índice de massa corporal do que os filhos de não alcoólicos. As crianças da amostra apresentavam ainda, significativamente, mais reprovações e menores performances nas aptidões intelectuais. Também de um modo significativo se verificou que estas crianças tinham mais sintomatologia depressiva e ansiosa. No desenho da família, pôde constatar-se, de modo significativo, que as crianças filhas de alcoólicos não desenha ...pt_PT
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_PT
dc.languageporpt_PT
dc.publisherUniversidade do Porto. Reitoriapt_PT
dc.rightsopenAccesspt_PT
dc.titleAs Crianças, quando os pais bebem : Estudo em crianças do ensino básicopt_PT
dc.typeDissertaçãopt_PT
Appears in Collections:FMUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
4915_TM_01_C.pdfVolume 01 Cores56.2 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open
4915_TM_01_P.pdfVolume 01 Preto & Branco11.08 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.