Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10216/91413
Author(s): Walter Georges Alcoforado dos Santos
Title: O Direito de Acção Popular e a Invalidade dos Contratos Administrativos
Issue Date: 2011-01-24
Description: Com a realização desta dissertação propomo-nos cumprir com um dos critérios de avaliação do curso de mestrado em ciências Jurídico-Administrativas, com vista à obtenção do grau de Mestre em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade do Porto. No desenvolvimento do tema que subjaz a este trabalho procuraremos (não obstante toda riqueza doutrinal e jurisprudencialque a temática em si convoca) cingir-nos aos aspectos essenciais conectados ao regime jurídico da acção popular, designadamente no que tange à aferição da legitimidade em acções relativasaos contratos administrativos, trazendo à espuma dos dias um assunto que atendendo à sua natureza e importância (diríamos, quase exclusiva) processual de que o mesmo se reveste,surge de capital importância para os intérpretes e aplicadores do Direito Processual Administrativo, maxime, no que concerne à sua correcta compreensão. Sublinhe-se, que toda a temáticaenvolvente à elaboração desta tese, aqui pretensamente escalpelizada, repousa no tratamento que a legislação actual lhe confere, quer na previsão expressa na lei fundamental, no artigo52º, quer em vários diplomas legais, com particular ênfase a Lei n.º 83/95, de 31 de Agosto, que veio regular o direito de participação procedimental e acção popular e, bem assim, no tratamentodoutrinal que ao longo dos tempos lhe vem sendo dedicado, sem olvidar o papel da jurisprudência enquanto farol orientador para a plena eficácia na aplicação do instituto do direito de acçãopopular. A modéstia experiência que o autor desta tese possui no exercício da advocacia, na área do Direito do Administrativo, em que habitualmente se confronta com este tipo de acçõespropostas nos Tribunais Administrativos, quer enquanto mandatário do Ministério da Cultura (entidade que usualmente é demandada ao abrigo do Direito de Acção Popular), quer enquantomandatário de outras instituições, públicas e/ou privadas, que assumem o papel de Autores neste tipo de acções, não pode aqui deixar de assumir um importante factor inspiração e guia paraas conclusões que a final se pretendem extrair. Pretendemos, acima de tudo, demonstrar a potencialidade do alcance do instituto da acção popular em conjugação com o regime previsto noCódigo de Processo dos Tribunais Administrativos2, para a impugnação de actos e contratos administrativos e tornar evidentes as dificuldades que também lhe são imanentes, apreensíveis(grande parte delas) através da realidade da prática da vida judicial. Forçoso se torna aproveitar este ensejo, para deixar aqui uma palavra de apreço e profunda gratidão ao Sr. ProfessorDoutor Luís Filipe Colaço Antunes, por, entre várias razões que aqui se poderiam elencar, saber incutir no Autor deste trabalho o prazer de estudar, e investigar, o Direito Administrativo, especialmentenos dias de hoje, que tantas transformações tem vindo a sofrer, em parte decorrentes da entrada em vigor do Código de Processo dos Tribunais Administrativos e do Estatuto dos Tribunais Administrativos e Fiscais.Os manuais do Professor Colaço Antunes constituíram importantes fontes de inspiração e de certa forma guias de orientação na exegese que pretendemos fazer do tema de Direito Administrativo que subjaz a este trabalho de investigação.
Subject: Direito
Law
URI: http://hdl.handle.net/10216/91413
Document Type: Dissertação
Rights: restrictedAccess
Appears in Collections:FDUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
24815.pdf"O Direito de Acção Popular e a Invalidade dos Contratos Administrativos".1.37 MBAdobe PDF    Request a copy


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.