Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/89655
Author(s): Carlos Bruno Fontes de Andrade Pereira
Title: As identidades do território invisível - paisagens de Valongo "entre serras"
Issue Date: 2016-10-28
Abstract: The majority of humankind currently lives in fragmented urban territories. In general,these have been developing since the 19th century industrial revolution, leaving behind the canoniccity and its organization models determined by criteria of relevance. These territories broadly consist ofexpanded existing centers, emerging new centralities, and coalescing built nuclei, which engulf unbuiltfarmland and forest areas within the urban grid, challenging acquired basic notions of spacion al perception.In recent decades many studies have focused on the understanding of urban spread anddensification on phenomena. However, very few have paid attentio to interstitial urban areas or those thatfi t poorly such concepts as catalysis or enhancement potention al. In such territories, each fragment consistsof an autonomous unit that interacts insuffi ciently with the whole due to unfamiliarity or withdrawalfrom the bustling areas, triggered whether by their location or by inadequate service provision.Inhabiting these territories presupposes fast displacements between outlying points,distorting the perception of spatial relations, and forging a vague knowledge of local structures.Altogether this makes those interstion al areas unknown. Likewise, the de-ruralization and the underlyingsocioeconomic changes of earlier rural areas (that are now part of the urban territory), still generatesa certain degree of incomprehension when confronting the organization of society and such spation almaterialization.The convergence of these factors nurtures misperceptions or misunderstandings thattranslate as illegibility in the ways of regarding the physical dimension of contemporary urbanity. Theleast known areas of the territory, possibly misunderstood in their miscegenation on of rural and urbanelements, lacking polarization on ability for their defi cient service provision, remain marginalized. Theseareas, to a large extent, aside from the fl uxes of full urban operation, become 'insulated' and constitutea part of what can be considered an invisible territory.In order to improve our understanding about such complex realities of the contemporaryurban territory it is necessary to formulate phenomena behind the more pronounced insulationcharacter of some of its fragments. To start with we need to identify them as these areas are locatedon a specifi c territory, delimited and restricted to an identitary landscape grounding. This must beunderstood in its interconnection with the urban structure. Likewise, it is crucial to proceed to theireffective interpretation, avoiding an analytical detachment and performing a closer observation. Inpursuing this approach it will be possible to establish relations among elements that constitute theurban areas, instigating the understanding of the invisible territory and its desirable integration in theholistic conception of the contemporary urban territory.
Description: A maioria da humanidade vive, atualmente, em territórios urbanos fragmentados. Estes têm-se desenvolvido, genericamente, desde a primeira revolução industrial, suplantando a relevância da cidade canónica e dos seus modelos de organização. Estes territórios são originados, em traços gerais, pela expansão de centralidades existentes, o surgimento de novas centralidades e a coalescência entre os vários núcleos edificados, incorporando áreas não edificadas - agrícolas, florestais - no seio dos tecidos urbanos, pondo em causa as noções básicas e consensuais de perceção espacial.Se nas últimas décadas muitos são os estudos que se têm dedicado à compreensão do fenómeno de densificação e de disseminação dos espaços urbanos, poucos são aqueles que se concentram nos espaços intersticiais ou nas áreas que não respondem positivamente a conceitos como catálise ou potencial de dinamização. Em tais territórios, cada fragmento constitui-se como uma unidade autónoma num todo que interage deficitariamente com o resto, dado o seu desconhecimento,o seu afastamento das áreas em permanente ebulição, devido quer à sua localização quer a certasinsuficiências na dotação de serviços.O modo de vida nestes territórios pressupõe a rápida deslocação entre pontos separadospor longas distâncias. Nessas deslocações, a perceção das relações espaciais é distorcida, a noção daestruturação do território, a nível local, é vaga e muitas áreas intersticiais tornam-se desconhecidas.Igualmente, o processo de desruralização de áreas outrora rurais, agora parte do território urbano, edas subjacentes transformações socioeconómicas, provocam, ainda, um certo grau de incompreensãona confrontação entre a organização da sociedade e a sua materialização espacial.Tudo isto resulta numa certa confusão, numa incapacidade de compreensão, que setraduz em ilegibilidade nas maneiras de ver a dimensão física da urbanidade contemporânea. As áreasmenos conhecidas do território, incompreendidas, possivelmente porque resultantes da miscigenaçãode elementos rurais e urbanos, com insuficiências a nível de serviços e incapacidade, por isso, depolarização, permanecem, de certa forma, marginalizadas. Essas áreas, de algum modo, à partedos fluxos do pleno funcionamento urbano, tornam-se isoladas, constituindo uma parte invisível doterritório.Para uma aproximação a estas realidades complexas do território urbano contemporâneoé necessário enunciar fenómenos que contribuem para o carácter de maior isolamento de alguns dosseus fragmentos, com o intuito de identificá-los. Estas áreas localizam-se num território específico,delimitado e condicionado por uma base paisagística identitária que é necessário compreender, na suainterligação com a estrutura urbana. É igualmente crucial proceder à sua efetiva interpretação, evitandocertos distanciamentos analíticos e observando-as de perto. Desta forma, será possível estabelecerrelações entre os elementos que constituem estas áreas urbanas, iniciando a compreensão do territórioinvisível e a sua desejável integração na conceção holística do território urbano contemporâneo.
Subject: Artes
Arts
Scientific areas: Humanidades::Artes
Humanities::Arts
TID identifier: 201543737
URI: https://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/89655
Document Type: Dissertação
Rights: openAccess
Appears in Collections:FAUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
169501.pdfAs identidades do território invisível - paisagens de Valongo "entre serras"16.72 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.