Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/83252
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorSónia Maria de Jesus Santos
dc.date.accessioned2019-01-31T06:03:20Z-
dc.date.available2019-01-31T06:03:20Z-
dc.date.issued2015-11-04
dc.date.submitted2016-04-26
dc.identifier.othersigarra:124901
dc.identifier.urihttps://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/83252-
dc.descriptionEste trabalho procura evidenciar a ideia de que existe uma afinidade entre aArquitectura e a Música através da sua mais directa relação: o som que percorre oespaço. Para tal, foi colocado como foco principal o instrumento musical que maispotenciou esta relação: o órgão de tubos. Procura-se também estudar, valorizar e compreendero maior conjunto de órgãos históricos pensados e construídos para o mesmoespaço no Mundo: os seis órgãos da basílica de Mafra.O órgão de tubos, inicialmente profano, mantem-se assim, até os dias de hoje,em salas de concerto, tendo utilização em muitas ocasiões festivas palacianas. Noentanto, foi ao serviço da igreja que todas as suas potencialidades foram exploradas,adaptando-se ao espaço religioso a ponto da Igreja Católica o considerar como suapropriedade. As suas capacidades sonoras e adaptação visual ao espaço arquitectó-nico atingem o seu auge na época barroca, época em que o peso de ornamentaçãovisual e acústica chegam a um patamar bastante próximo do ponto de vista técnico eacústico, conjugando-se entre si no mesmo espaço com a mesma finalidade: a liturgia.A Igreja Católica, em particular, conseguiu "persuadir" e envolver os fiéis criandoambiências sensíveis às quais seria quase impossível ser indiferente, jogando comtodos os canais sensoriais e controlando grande parte das "artes" que lhes eram acessíveis,principalmente a arquitectura e a música. Esta ideia de que todos os nossoscanais sensíveis estão expostos ao espaço arquitectónico serve também como maisvalia numa reflexão arquitectónica na medida em que através deste "trabalhar o espa-ço sem se esquecer do som" é possível adequar os ambientes arquitectónicos às suasdevidas intenções não só do ponto de vista espacial e visual, mas também do pontode vista acústico.Estudar o caso especifico da Basílica de Mafra, como um dos grandes exemplosdo poder da possível articulação entre o visual e o sonoro com um fim bem vinculadoe claro, a persuasão dos sentidos, permite não só teorizar mas também experienciara junção entre arquitectura e som ou de um "espaço arquitectónico musical".
dc.description.abstractThis work seeks to highlight the idea that there is an affinity between architectureand music through its more direct relationship: the sound that travels through space. Forthis purpose, it was placed the main focus, at the musical instrument that most leveragedthis relationship: the pipe organ. It also seeks to study, appreciate and understandthe largest set of historic organs designed and constructed for the same space in theWorld: the Basilica of Mafra's six organs.The pipe organ, originally profane, remains until the present day, in concerthalls, and is used in many palatial festive occasions. However, it was at the service ofthe Church that all its potentials were explored, adjusting to the religious space to thepoint the Catholic Church considers as his property. Their sound and visual adaptationto the architectural space capabilities reach their peak in the Baroque era, a time whenthe visual ornamentation and acoustic matter arrive to a very close level of technicaland acoustic refinement, combining with each other in the same space with the samepurpose: the liturgy.The Catholic Church, in particular, managed to "persuade" and engage the faithfulcreating sensitive ambiences which would be almost impossible to be indifferent,acting on all the sensory channels and controlling much of the "arts" to them accessible,especially architecture and music. This idea that all our sensitive channels are exposedto architectural space also serve as added value in an architectural reflection tothe extent that this "to work space without forgetting the sound" can adjust architecturalenvironments to their proper intentions not only the spatial and visual point of view butalso from the acoustic angle.Study the specific case of Basilica of Mafra, one of the great examples of thepower of the possible link between the visual and the sound with a well-bound and clearorder, persuasion of sense, does not only theorize but also experience the join betweenarchitecture and sound or a "musical architectural space".
dc.language.isopor
dc.rightsopenAccess
dc.rights.urihttps://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/
dc.subjectArtes
dc.subjectArts
dc.titleArquitectura e Som: O Órgão de Tubos Mafra: "Um Instrumento Musical Arquitectónico"
dc.typeDissertação
dc.contributor.uportoFaculdade de Arquitectura
dc.identifier.tid201546728
dc.subject.fosHumanidades::Artes
dc.subject.fosHumanities::Arts
thesis.degree.disciplineMestrado Integrado em Arquitetura
thesis.degree.grantorFaculdade de Arquitectura
thesis.degree.grantorUniversidade do Porto
thesis.degree.level1
Appears in Collections:FAUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
124901.pdfArquitectura e Som: O Órgão de Tubos Mafra: "Um Instrumento Musical Arquitectónico"12.95 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons