Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/68841
Author(s): Oliveira, Elisabete Alves da Silva
Title: Perfil lipídico da carne vermelha e doença cardiovascular
Issue Date: 2012
Abstract: Resumo da tese: As doenças cardiovasculares (DCV) são a principal causa de morte, por doenças não transmissíveis, matando mais que os tumores e as doenças respiratórias crónicas. Tratando-se de uma doença tão relevante, que em Portugal é responsável por 37% das mortes anuais, existe um conjunto de medidas criadas para intervir sobre os principais fatores de risco: a tensão arterial elevada, a obesidade, a hiperglicemia e a hiperlipidemia. Algumas destas medidas focam-se na mudança do estilo de vida, nomeadamente na alteração de certos hábitos alimentares como o consumo de carne, especialmente, de carne vermelha. Este alimento é considerado como uma fonte de ácidos gordos saturados (AGS) e colesterol, componentes que intervêm na aterogénese, uma doença que contribui para as DCV. No entanto, o perfil de saturação dos ácidos gordos da carne vermelha varia de acordo com um conjunto de fatores extrínsecos e intrínsecos ao animal que a criginou. A análise da literatura mais recente revela duas conclusões opostas: a mata-análise de Micha et al. 2012 conclui que não há associação entre o consumo de carne vermelha e a mortalidade por DCV, enquanto que 2 estudos coorte prospetivos concluem que existe uma associação positiva. Quanto à relação entre os ácidos gordos e o risco de DCV há estudos que afirmam não existir uma associação entre o consumo de AGS e a DCV. Os ácidos gordos monoinsaturados também não estão associados com a doença cardiovascular, estando apenas os ácidos gordos polinsaturados associados à redução do risco de DCV.Thesis abstract: Cardiovascular diseases are the leading cause of death for non-communicable diseases, Killing more than tumors and chronic respiratory diseases. Having such impact, and being responsible for 37% of Portuguese deaths annually, there are a set of measures designed to intervence on the main risk factors: high blood pressure, obesity, hyperglycemia and hyperlipidemia. Some of these measures focus on changing lifestyle, particularly in changing food habits and consumption of meat, especially red meat. This food is considered a source of saturated fatty acids (SFA) and cholesterol, components involved in atherogenesis, a disease which contribute to Cardiovascular Disease (CVD). However, the saturation profile of red meats fatty acids changes according to a set of extrinsic and intrinsic factors related to the animal. The analysis of recent literature reveals two opposite conclusions: the meta-analysis of Micha et al., 2010 concludes that there is no association between red meat consumption and mortality from CVD, while two prospective cohorts conclude that there is a positive association. As for the relationship between fatty acids and CVD risk, there are studies concluding that there is no association between the consumption of SFA and CVD. Also monounsaturated fatty acids are not associated with cardiovascular disease being polyunsaturated fatty acids the ones associated with the reduction of such risk.
Description: Trabalho complementar (Trabalho de Investigação) realizado no âmbito da Unidade Curricular Estágio da Licenciatura em Ciências da Nutrição da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto, sob orientação de Dr. Fernando Pichel (Hospital de Santo António do Porto)
Subject: Ciências da Saúde, Ciências médicas e da saúde
Health sciences, Medical and Health sciences
Scientific areas: Ciências médicas e da saúde
Medical and Health sciences
URI: https://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/68841
Document Type: Trabalho Académico
Rights: openAccess
License: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/
Appears in Collections:FCNAUP - Trabalho Académico

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
39811.pdf815.12 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons