Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/54733
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorRodrigues, Sara Simões Pereirapt_PT
dc.contributor.advisorTrindade, Erasmo Benicio Santos de Moraespt_PT
dc.creatorTeixeira, Ana Rita Nevespt_PT
dc.date.accessioned2011-04-21T11:32:06Zpt_PT
dc.date.accessioned2013-07-30T13:55:46Z-
dc.date.available2011-04-21T11:32:06Zpt_PT
dc.date.available2013-07-30T13:55:46Z-
dc.date.issued2010pt_PT
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10216/54733pt_PT
dc.descriptionContém um relatório de estágio curricular realizado na Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil, no âmbito da licenciatura em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto. O exemplar do relatório de estágio existe apenas em formato papel e está disponível para consulta na Biblioteca da FCNAUPpt_PT
dc.descriptionTese de licenciatura em Ciências da Nutrição apresentada à Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Portopt_PT
dc.description.abstractResumo da tese: A maioria dos indivíduos usufrui de grande diversidade de alimentos sem problemas. No entanto, para uma pequena percentagem de indivíduos, determinados alimentos podem causar reacções adversas. As alergias alimentares têm aumentado significativamente na última década, principalmente em crianças. A alergia alimentar é a denominação utilizada para as reacções adversas aos alimentos que envolvem mecanismos imunológicos que podem ser mediados por IgE, por células ou por ambas. As manifestações clínicas podem variar de urticária leve a reacções sistémicas com morte por anafilaxia. Nas crianças, os alimentos mais comuns de alergia são o leite, a soja, o ovo, o trigo e o amendoim, sendo a alergia ao leite de vaca a mais comum nas crianças e a do amendoim a mais persistente, todas elas relativas aos Estados Unidos da América. Uma vez que o tratamento da alergia alimentar engloba a restrição completa do alimento alergénio, um diagnóstico correcto é imprescindível não só para direccionar o tratamento, mas também para evitar a restrição alimentar desnecessária, que, se prolongada, pode afectar negativamente o estado nutricional da criança comprometendo o seu crescimento. Deste modo, o acompanhamento do paciente por parte do médico e /ou do nutricionista é imprescindível no controlo evolutivo da reacção de hipersensibilidade alimentar da criança de forma a determinar o momento ideal de reintrodução do alimento excluído uma vez que grande parte das crianças vai adquirir tolerância ao alimento a priori alergénico.pt_PT
dc.description.abstractThesis abstract: Most people enjoy a wide variety of foods without any problems. However, for a small percentage of individuals, certain foods can cause adverse reactions. Food allergies have increased significantly over the last decade, especially in children. A food allergy is called for adverse reactions to foods that involve immunological mechanisms that may be mediated by IgE-mediated, cells mediated or both. It can be responsible of a variety of symptoms which can range from mild urticaria to systemic reactions to death by anaphylaxis. In children, the most common food allergen sources are milk, soy, egg, wheat and peanuts. Cow´s milk allergy is the most common in children and peanut´s allergy is the most persistent. Since the treatment for food allergy includes the complete restriction of food allergen, a correct diagnosis is essential not only to direct treatment, but also to avoid unnecessary dietary restrictions, and when for a long time could affect children´s nutritional status compromising their growth. Thus, the management of the patient by the physician and/or nutrionist is essential in the development of food hypersensitivity raction of the child to determine the perfect time to reintroduce the food excluded since most children will acquire tolerance allergenic food in advance. Allergic diseases result from genetic interaction with environmental factors and diet and as the intervention in the genetic inheritance is not possible nowadays, preventive strategies are restricted to environmental and dietary factors. At dietary level, prevention of food allergy may include intervention at the level of maternal diet during pregnancy and lactation, breastfeeding, use of hydrolysed formulas, the introduction of complementary foods and changes in eating patterns of the child.pt_PT
dc.format2 vols.(tese + relatório)pt_PT
dc.format.extent30 cmpt_PT
dc.language.isoporpt_PT
dc.publisherPorto : edição de autorpt_PT
dc.rightsopenAccesspt_PT
dc.source.urihttp://catalogo.up.pt/F?func=find-b&find_code=SYS&request=000139109pt_PT
dc.subjectUniversidade do Porto, Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação, Licenciatura em Ciências da Nutrição--Dissertaçõespt_PT
dc.subjectCiências da Nutrição--Tese de licenciaturapt_PT
dc.subjectÁreas de estágio--Nutrição Clínica--Restauração e Alimentação Colectiva--Relatório de estágiopt_PT
dc.subjectHipersensibilidade Alimentarpt_PT
dc.subjectCriançapt_PT
dc.titleAlergias Alimentares na Infância : Monografia : Food Allergies in Childhoodpt_PT
dc.typeTrabalho Académicopt_PT
Appears in Collections:FCNAUP - Trabalho Académico

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
139109_1057TCD57.pdf531.53 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.