Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/155994
Author(s): Marilia Branco Freitas
Title: O que elas pensam sobre violência obstétrica: um estudo qualitativo com mulheres em Portugal
Issue Date: 2023-11-28
Abstract: Introduction: Obstetric violence is a phenomenon recognized by the WHO as a public health problem at the global level and as a violation of human rights. Although the theme has been the subject of many investigations in recent decades, especially in lower-middle-income countries, it has only begun to be explored in high-income countries in recent years. In Portugal, although there is a debate on obstetric violence by the media, the scientific field still demands a greater collection of data about Portuguese perinatal care. Therefore, this study aims to analyze the perception of women living in Portugal about obstetric violence. Methods: The present study used an inductive qualitative methodology to explore women's views on obstetric violence. Data were collected from semi-structured interviews with 15 participants living in Portugal who had their last pregnancy and delivery in the country. Subsequently, content analysis was used to explore the narratives. Results: In the interviews, the participants characterized as obstetric violence, mainly, "lack of empathy", "lack of consent" and "violence promoted by the system ", categories that were illustrated, mostly, through their own experiences. The categories mentioned in the study included 5 of the 7 categories proposed in Bohren's typology, except for physical and sexual abuse, not reported by the participants of the present study. Conclusion: The results of the study demonstrate the recognition of women living in Portugal of the phenomenon of obstetric violence and point to the importance of evaluating the quality of obstetric care in the country beyond maternal and neonatal mortality. The insertion of new quality parameters requires a greater collection of data about the health care provided to women during their pregnancy and delivery. The experience of women in this context must also be associated for the changes to be relevant and effective.
Description: Introdução: A violência obstétrica é um fenômeno reconhecido pela OMS como problema de saúde pública à nível global e como uma violação de direitos humanos. A temática apesar de ter sido alvo de muitas investigações nas últimas décadas, principalmente, em regiões de renda média-baixa, só começou a ser explorada nos países de renda alta nos últimos anos. Em Portugal, apesar de haver um debate sobre a violência obstétrica pelos media, o campo científico ainda demanda uma maior coleta de dados acerca da assistência perinatal portuguesa. Portanto, este estudo, tem como objetivo analisar a perceção das mulheres residentes em Portugal sobre a violência obstétrica. Métodos: O presente estudo utilizou uma metodologia qualitativa indutiva para explorar a visão das mulheres acerca da violência obstétrica. Os dados foram coletados a partir de entrevistas semiestruturadas com 15 participantes residentes em Portugal as quais tiveram a sua última gestação e parto no país. Posteriormente, a análise de conteúdo foi utilizada como forma de explorar as narrativas. Resultados: Nas entrevistas, as mulheres participantes caracterizaram como violência obstétrica, principalmente, "ausência de empatia", "ausência de consentimento" e "violência promovida pelo próprio sistema", categorias que foram ilustradas, maioritariamente, através de experiências próprias. As categoriais citadas no estudo contemplam 5 das 7 categorias propostas na tipologia de Bohren, excetuando-se o abuso físico e sexual não relatado pelas participantes do presente estudo. Conclusão: Os resultados do estudo demonstram o reconhecimento das mulheres residentes em Portugal do fenômeno da violência obstétrica e apontam para a importância de avaliar a qualidade da assistência obstétrica no país pra além da mortalidade materna e neonatal. A inserção de novos parâmetros de qualidade, requer uma maior coleta de dados acerca dos cuidados em saúde prestados as mulheres durante o ciclo gravídico-puerperal. Devem ainda estar associados a experiência das mulheres neste contexto a fim de que as mudanças sejam relevantes e efetivas
Subject: Ciências da saúde
Health sciences
Scientific areas: Ciências médicas e da saúde::Ciências da saúde
Medical and Health sciences::Health sciences
TID identifier: 203522702
URI: https://hdl.handle.net/10216/155994
Document Type: Dissertação
Rights: openAccess
License: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/
Appears in Collections:FMUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
653121.pdfO que elas pensam sobre violência obstétrica: um estudo qualitativo com mulheres em Portugal991.13 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons