Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/136151
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorEiras, Pedro
dc.date.accessioned2022-09-11T14:15:01Z-
dc.date.available2022-09-11T14:15:01Z-
dc.date.issued2021
dc.identifier.othersigarra:496120
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/10216/136151-
dc.descriptionO que é uma comunicação académica, o que é uma dor não-académica? O que é uma comunicação de quinze minutos, e que laços estabelece com todo o tempo? O que é um pôr em comum, uma glosa de um poema? Por que razão o tema da morte é reescrito por António Ramos Rosa, Herberto Helder, Gastão Cruz, por que razão a morte de um poeta surge num poema de outro poeta, e esse surgir não pode ser académico?
dc.language.isopor
dc.relation.ispartofUm dia destes tenho o dia inteiro para morrer: a finitude nas artes / organ. Fernando Velasco, Elisabete Marques
dc.rightsopenAccess
dc.subjectLiteraturas comparada
dc.subjectComparative literature
dc.titleA morte e o poema (breves notas, ecos)
dc.typeCapítulo ou Parte de Livro
dc.contributor.uportoFaculdade de Letras
Appears in Collections:FLUP - Capítulo ou Parte de Livro

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
496120.pdf120.36 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.