Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/128771
Author(s): Isabel Maria Vieira da Silva
Title: Quais as crenças e atitudes do médico perante a violência por parceiro íntimo? Uma revisão sistemática
Issue Date: 2020-06-17
Abstract: Introduction: The doctor has an essential role on identifying and aiding victims of intimate partner violence, so it is necessary to determine the current situation faced by physicians and promote strategies to enhance their role. An attempt is made to describe physicians' beliefs regarding intimate partner violence and to understand their attitudes towards screening and acting on known cases, including the respective barriers and facilitators. Finally, we seek to understand what doctors propose as effective future measures to change behaviors. Material and Methods: A systematic review of the peer-review literature in this field was carried out. We have included 43 articles to categorical thematic analysis. Results: From the analysis, three main events were identified. Doctors' beliefs, attitudes of doctors, and an agenda for the future. In doctors' beliefs was found beliefs about violence, the victim and on the role of medical doctor. In relation to the doctor's attitudes we have identified actions with the victim, with the abuser, and about the case identification. In the agenda for future research, doctors advocate for social, political and professional measures. Discussion: We discuss the limitations identified by medical doctors who deal with intimate partner violence and the most relevant strategies to be implemented in their clinical practice. Conclusion: Beliefs regarding victims and violence are generally negatively influenced by the society in which the clinician is inserted. Medical doctors, faced with intimate partner violence, identify numerous personal, social and institutional barriers.
Description: Introdução: O médico é um ator central na identificação e intervenção junto das vítimas de violência por parceiro íntimo, sendo necessário fazer um ponto da situação atual e promover estratégias que potenciem o seu papel. Procura-se descrever as crenças dos médicos sobre a violência por parceiro íntimo, compreender as suas atitudes em relação ao rastreio e ação perante os casos, incluindo as respetivas barreiras e facilitadores. Finalmente, procura-se entender o que os médicos propõem como medidas futuras eficazes na alteração de comportamentos. Materiais e Métodos: Realizou-se uma revisão sistemática da literatura de artigos sujeitos a revisão por pares. Foram incluídos 43 artigos na análise categorial temática. Resultados: Da análise foram identificadas 3 categorias principais. As crenças dos médicos, as atitudes dos médicos e uma agenda para o futuro. Nas crenças encontraram-se crenças sobre a violência, sobre a vítima e sobre o papel do médico. Em relação às atitudes identificamos ações sobre a vítima, com o agressor e sobre a identificação dos casos. Na agenda para o futuro, os médicos defendem medidas sociais, políticas e profissionais. Discussão: Discutem-se as limitações que os médicos indicam quando lidam com a violência por parceiro íntimo, assim como estratégias que eles consideram mais relevantes para implementar na sua prática clínica. Conclusão: As crenças sobre as vítimas e a violência são principalmente influenciadas negativamente pela sociedade em que o clínico está inserido. Os médicos perante a violência por parceiro íntimo, apontam numerosas barreiras pessoais, sociais e institucionais.
Subject: Ciências da saúde
Health sciences
Scientific areas: Ciências médicas e da saúde::Ciências da saúde
Medical and Health sciences::Health sciences
TID identifier: 202613810
URI: https://hdl.handle.net/10216/128771
Document Type: Dissertação
Rights: restrictedAccess
License: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
Appears in Collections:FMUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
414329.pdf
  Restricted Access
Quais as crenças e atitudes do médico perante a violência por parceiro íntimo? Uma revisão sistemática5.57 MBAdobe PDF    Request a copy from the Author(s)


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons