Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/114360
Author(s): Natália de Sousa Antunes
Title: A utilidade da HRV como fator de prognóstico em crianças com TCE
Issue Date: 2018-07-31
Abstract: PurposeHeart rate variability in children suffering from head trauma has not yet been well studied. Thus, this study aimed to assess the cardiovascular repercussions of the autonomic nervous system, through the evaluation of pediatric patients' heart rate variability (HRV), with head trauma.MethodsDatabases (Pubmed, World of Science and Scopus) - studies were conducted from 1996 to 2017, taking into account heart rate variability of pediatric patients (0 to 18 years), based on Task Force guidelines (1996). We analyzed ten (10) studies that included our inclusion criteria.ResultsThe normalized total power of 0.04 to 0.15 Hz was used to quantify the heart rate low frequency(LF) and from 0.15 to 0.40 Hz to quantify heart rate high frequency (HF). An LF / HF ratio was used as a measure of sympathetic heart rate modulation.The patients with brain injury that became brain dead had a markedly lower LF / HF ratio (p <0.001), with a significant decrease after the first few hours of hospitalization. Patients with a more favorable prognosis had significantly higher LF / HF ratios.ConclusionsAutonomic Nervous System (ANS) dysfunction in children suffering from brain injury leads to oscillations in heart rate variability.After reviewing the literature it was concluded that a HRV can be useful for the determination of the severity of neurological damage, that also being a prognostic factor in the evaluation of its recovery.The LF / HF ratio may prove to be useful not only for brain death after brain injury, but also for predicting which ones will have a better prognosis.
Description: ObjetivoA variabilidade da frequência cardíaca em crianças que sofreram traumatismo craniano ainda não se encontra muito estudada. Assim, este trabalho teve como objetivo avaliar as repercussões cardiovasculares do sistema nervoso autónomo, através da avaliação da variabilidade da frequência cardíaca (VFC), em indivíduos em idade pediátrica com traumatismo craniano.MétodosBases de dados (Pubmed, World of Science e Scopus) - foram pesquisados estudos desde 1996 até 2017, tendo em conta a variabilidade da frequência cardíaca em idade pediátrica, (0 aos 18 anos), que tinham por base as guidelines Task Force (1996). Foram analisados dez (10) estudos que iam de encontro aos nossos critérios de inclusão.ResultadosA potência total normalizada de 0,04 a 0,15 Hz foi utilizada para quantificar a VFC de baixa frequência (LF) e de 0,15 a 0,40 Hz para quantificar a VFC de alta frequência (HF). A proporção LF / HF foi utilizada como medida de modulação simpática da frequência cardíaca.Os doentes que após traumatismo craniano evoluíram para morte cerebral apresentaram uma relação LF / HF marcadamente menor (p<0,001), com uma diminuição significativa após as primeiras horas de internamento. Doentes com prognóstico mais favorável apresentaram ratios LF / HF significativamente mais elevados.ConclusõesA disfunção no Sistema Nervoso Autónomo (SNA) em crianças que sofreram um traumatismo craniano conduz a oscilações na variabilidade da frequência cardíaca.Após revisão da literatura concluiu-se que a VFC pode ser útil para a determinação da gravidade dos danos neurológicos, sendo, também, um fator de prognóstico na avaliação da sua recuperação.A relação LF / HF poderá revelar-se útil não apenas nos doentes que evoluirão para a morte cerebral, após traumatismo craniano, como também na previsão de quais terão um melhor prognóstico.
Subject: Medicina clínica
Clinical medicine
Scientific areas: Ciências médicas e da saúde::Medicina clínica
Medical and Health sciences::Clinical medicine
URI: https://hdl.handle.net/10216/114360
Document Type: Dissertação
Rights: openAccess
License: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/
Appears in Collections:FMUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
278752.pdfThe utility of heart rate variability as a prognostic factor in children with traumatic brain injury1.52 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons