Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/112077
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorMatos, Fátima Loureiro de
dc.creatorMarques, Teresa Sá
dc.creatorRibeiro, Diogo
dc.creatorMaia, Ana Catarina Oliveira
dc.date.accessioned2019-02-03T11:02:53Z-
dc.date.available2019-02-03T11:02:53Z-
dc.date.issued2017
dc.identifier.othersigarra:267207
dc.identifier.urihttps://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/112077-
dc.descriptionApesar de se começar a assistir a alguns sinais do abrandar da crise económica e financeira, queatingiu a Europa desde 2008, Portugal tal como outros países da Europa do Sul, encontra-se, ainda,numa situação de crise, com consequências no aumento dos riscos e vulnerabilidade social. Asrespostas políticas à crise assentaram em medidas financeiras de austeridade, de forma a reduzir odeficit orçamental, o endividamento público e a despesa através da redução ou congelamento dossalários, do aumento de taxas e impostos, e da restruturação dos serviços e dos apoios públicos. Asmúltiplas dimensões da crise e da austeridade permitem abordar o seu impacto a partir de váriasperspetivas e diversificados indicadores de forma a melhor analisarmos os impactos. Perante estequadro, esta comunicação desenvolve-se, em primeiro lugar, a nível nacional e sustenta-se em umnúmero elevado de indicadores, a partir de um conjunto de fontes estatísticas (Eurostat, Pordata, INE,entre outras). Em seguida, faz-se análise territorial, para construir uma geografia social focada nonúmero de pessoas afetadas pela crise. É uma geografia que retrata a situação em 2007 e 2014. Porfim, faz-se uma breve reflexão das políticas sociais anticrise implementadas durante os últimos anos eos seus impactos, nas populações mais vulneráveis.
dc.description.abstractAlthough we start watching some signs of the economic and financial crisis slowing down that hitEurope since 2008, Portugal as well as other countries of Southern Europe, is also in crisis withconsequences in increased risks and social vulnerability. Policy responses to the crisis lay on financialausterity measures to reduce the budget deficit, the public debt and spending by reducing or freezingwages, increasing rates and taxes, and restructuring services and public support. The multipledimensions of the crisis and austerity allow us to address the impact of the crisis from multipleperspectives and diverse indicators in order to better analyze their impact. With this background, thiscommunication addresses first, the national level and is support in a large number of indicators, from aset of statistical sources (Eurostat, Pordata, INE, among others). Then, we do a territorial analysis, to build a social geography focused on the number of people affected by the crisis. ItŽs a geography that reflects the situation in 2007 and 2014.In the end we do a brief reflection of the anti-crisis social policies implemented in recent years and its impact on the most vulnerable populations.
dc.language.isopor
dc.relation.ispartofThe overarching issues of the european space: society, economy and heritage in a scenario towards greater territorial cohesion = Grandes problemáticas do espaço europeu: sociedade, economia e património num cenário tendente a uma maior coesão territorial
dc.rightsopenAccess
dc.subjectGeografia
dc.subjectGeography
dc.titleUma leitura territorial da crise e vulnerabilidade social
dc.typeCapítulo ou Parte de Livro
dc.contributor.uportoFaculdade de Letras
Appears in Collections:FLUP - Capítulo ou Parte de Livro

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
267207.pdf739.65 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.