Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10216/108671
Author(s): Frederico Vilela Silva
Title: BEM-ESTAR SUBJETIVO E EXERCÍCIO FÍSICO: Um estudo realizado com praticantes e ex-praticantes de uma academia brasileira
Issue Date: 2017-11-23
Abstract: The study of Subjective Well-Being (SWB) has received frequent attention from researchers because the understanding of its components is relevant to the understanding of what makes a person and a society happy. In this context, we seek to understand if the practice of different physical exercise (PE) in an Academy is a factor to achieve better levels of BES - Life Satisfaction (LS), Positive Affects (PA) and Negative Affects (NA) - for individuals who no longer exercise and are sedentary and if variables such as gender, age, weekly frequency, type of PE, practice time and minutes spent in the gym can change this dynamic.The study had the participation of 400 practitioners and 103 former practitioners (practitioners: 55% female and 45% male / ex-practitioners: 51.5% male and 48.5 female) aged between 18 and 78 years, grouped into four age groups: 1 ° (until 30 years); 2 ° (31 to 45 years); 3 (46 to 60 years) and 4 (over 60 years). Questions were asked about the particularities of PE in the Academy and SWB was evaluated through adapted and translated versions of Satisfaction With Life Scale (Diener et al., 1985); and Positive and Negative Affect Schedule, (Watson et al., 1988).In general, we found that men practiced more individual activities, while women practiced more group activities, with bodybuilding being the most practiced activity in both sexes; in relation to the age group - the first three echelons had the most recurring practice of bodybuilding, the fourth echelon would primarily adhere to water aerobics. It was evidenced that PE practitioners at the Academy were significantly more satisfied with their lives (LS) and had higher levels of Positive Affects (PA) and lower levels of Negative Affects (NA) than the former sedentary practitioners. We also verified that the weekly frequency and the practice time were not significantly related to the levels of PA and NA, and LS, however, we noticed that those who practiced activities in the gym for more than 30 minutes obtained better results in SWB levels in compared to those practicing activities for only 10 to 30 minutes.Thus, we can conclude that in this sample, PE practitioners in the Academy, regardless of their modality, frequency and time of practice, are more satisfied with their lives and with higher levels of PA and lower NA levels than the former sedentary practitioners.
Description: O estudo do Bem-estar Subjetivo (BES) tem recebido a atenção frequente dos pesquisadores, pois o entendimento dos seus componentes é relevante para a compreensão do que torna um indivíduo e uma sociedade felizes. Neste contexto, buscamos compreender se a prática de diferentes modalidades de exercício físico (EF) em uma Academia é um fator para se alcançar melhores níveis de BES - Satisfação com a Vida (SV), Afetos Positivos (AP) e Afetos Negativos (AN) - em relação a indivíduos que já não praticam mais exercícios e estão sedentários e se variáveis como sexo, idade, frequência semanal, tipo de EF, tempo de prática e minutos gastos na academia podem alterar esta dinâmica.O estudo contou com a participação de 400 praticantes e 103 ex-praticantes (praticantes: 55% do sexo feminino e 45% do sexo masculino/ ex-praticantes: 51,5% do sexo masculino e 48,5 do sexo feminino) com idades entre 18 e 78 anos, agrupados em quatro escalões etários: 1° (até 30 anos); 2° (31 a 45 anos); 3° (46 a 60 anos) e 4° (mais de 60 anos). Foram feitos questionamentos acerca das particularidades do EF na Academia e o BES foi avaliado através de versões adaptadas e traduzidas da Satisfaction With Life Scale, (Diener et al., 1985); e Positive and Negative Affect Schedule, (Watson et al., 1988).De maneira geral, constatamos que os homens praticavam mais atividades individuais, enquanto que as mulheres praticavam mais atividades em grupo, sendo a musculação a atividade mais praticada em ambos os sexos; em relação ao escalão etário - os três primeiros escalões tinham como prática mais recorrente a musculação, o quarto escalão prioritariamente aderia a hidroginástica. Evidenciou-se que os praticantes de EF na Academia estavam significativamente mais satisfeitos com suas vidas (SV) e apresentaram maiores níveis de Afetos Positivos (AP) e menores níveis de Afetos Negativos (AN) que os ex-praticantes sedentários. Verificamos ainda que a frequência semanal e o tempo de prática não se relacionavam significativamente com os níveis de AP e AN, e de SV, porém, notamos que os praticantes de atividades na academia por mais de 30 minutos obtiveram melhores resultados nos níveis de BES em comparação com os praticantes de atividades por apenas 10 a 30 minutos.Assim podemos concluir que nesta amostra os praticantes de EF na Academia, independentemente da modalidade, frequência e tempo de prática, estão mais satisfeitos com suas vidas e com maiores níveis de AP e menores níveis de AN que os ex-praticantes sedentários.
Subject: Outras ciências sociais
Other social sciences
TID identifier : 201880610
URI: http://hdl.handle.net/10216/108671
Document Type: Dissertação
Rights: openAccess
Appears in Collections:FADEUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
229045.pdfBEM-ESTAR SUBJETIVO E EXERCÍCIO FÍSICO: Um estudo realizado com praticantes e ex-praticantes de uma academia brasileira87.81 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.