Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/108400
Author(s): Rute Micaela Santos Moreira
Title: Colaboradores presentes, mas ausentes?: a influência da (in)satisfação profissional e do significado do trabalho no presentismo
Issue Date: 2017-11-13
Description: O trabalho constitui uma parte bastante significativa na vida dos indivíduos, sendonecessário promover o bem-estar dos colaboradores e a sua qualidade de vida, para que odesempenho e a produtividade aumentem (Monjardino, Amaro, Batista & Norton, 2016).Este estudo tem como objetivo compreender de que forma a satisfação/insatisfaçãoprofissional e o significado do trabalho estão relacionados com o presentismo doscolaboradores. Também perceber como o presentismo se relaciona de forma diferencialcom diferentes variáveis sociodemográficas; adaptar a escala de satisfação com o trabalhoà população portuguesa (EST, Meliá & Peiró, 1998); e reformular a escala do presentismo(SPS-6, Koopman e colaboradores, 2002; Ferreira, Martinez & Sousa, 2010), propondo aconstrução de novos itens.A amostra é constituída por 242 participantes detentores de um contrato detrabalho, estando dividida em três subgrupos de idades: de 18 a 25 anos (17.8%); de 25 a35 anos (26.9%) e maiores de 35 anos (50.4%), sendo 109 participantes do sexomasculino (45.0%) e 132 participantes do sexo feminino (54.5%). Os resultados indicamque a análise dos valores da AFE da adaptação da EST à população portuguesa apresentavalores de qualidades psicométricas elevados, considerando-se que existe umaadequabilidade satisfatória. Foram, ainda, encontradas correlações negativas, emborabaixas, entre a satisfação com o trabalho e o presentismo e, uma correlação positiva baixaentre o presentismo e o significado negativo atribuído ao trabalho. Os colaboradores maisnovos e solteiros apresentam maior satisfação com os benefícios e políticas daorganização e com o ambiente físico do trabalho. Já os colaboradores do setor terciáriode atividade revelam-se mais satisfeitos quanto à supervisão do seu trabalho, quanto aoambiente físico e mais satisfeitos intrinsecamente, do que os trabalhadores do sectorsecundário. Os colaboradores com contrato a termo revelam maior satisfação do que oscolaboradores efetivos e de outro tipo de contratos. Para além disso, os colaboradores quetrabalham menos horas estão mais satisfeitos com os benefícios e políticas daorganização; os colaboradores menos escolarizados e os pertencentes ao setor secundáriosão os que apresentam maior presentismo psicológico. Refletem-se e discutem-se estesresultados à luz do estado da arte. Por fim, apresentam-se os principais contributos desteestudo, as suas limitações e sugestões futuras de investigação.
Subject: Psicologia
Psychology
Scientific areas: Ciências sociais::Psicologia
Social sciences::Psychology
TID identifier: 201756862
URI: https://hdl.handle.net/10216/108400
Document Type: Dissertação
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
226082.pdfColaboradores presentes, mas ausentes?: a influência da (in)satisfação profissional e do significado do trabalho no presentismo1.78 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.