Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/105091
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorFabiana Cristina Sacramento de Sá
dc.date.accessioned2019-06-28T07:09:41Z-
dc.date.available2019-06-28T07:09:41Z-
dc.date.issued2017-06-28
dc.date.submitted2017-06-30
dc.identifier.othersigarra:198301
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/10216/105091-
dc.descriptionA sexualidade é uma componente multidimensional do desenvolvimento humano,refletindo-se numa necessidade de amor, intimidade e relações com os outros (Parchomiuk,2012). No entanto, muitas são as pessoas que sofrem uma certa estigmatização relativa aesta temática (Rubin, 1984). A sexualidade é vista como sendo exclusiva de determinadosgrupos, tais como os de sujeitos sem deficiência (Esmail, Darry, Walter, & Knupp, 2010).Muitas vezes os indivíduos com deficiência assimilam conhecimentos sexuais graças àequipa que trabalha junto deles (Meaney-Tavares & Gavidia-Payne, 2012), por serem aspessoas com quem estes passam mais tempo.Tendo em conta as diferentes conclusões a que se foi chegando ao longo dediversas pesquisas, o principal objetivo deste estudo passa por compreender as atitudesdos/as profissionais que trabalham com estes indivíduos e quais as suas característicaspessoais. Trata-se de um estudo misto (Günther, 2006), de carácter transversal,exploratório e descritivo (Given, 2008). Recorreu-se à utilização dos itens do Attitudes toSexuality Questionnaire (Individuals with an Intellectual Disability) e de dois itensretirados de uma dissertação de mestrado (Fernandes, 2014), no caso da análisequantitativa; e construiu-se uma entrevista semiestruturada, no que concerne à análisequalitativa.Os resultados obtidos permitiram aferir que, em geral, os/as profissionaisvisualizam com maior positividade tópicos interligados à Educação e Prevenção. Alémdisso, profissionais com idades e sexos desiguais não terão diferenças significativas nassuas atitudes; também o facto de ter ou não um familiar com deficiência não influencia asmesmas. Por outro lado, o nível escolar, a profissão e a formação em sexualidade têmefeito nas atitudes, sendo as duas primeiras características as que demonstram maior efeito.Como estudos futuros, sugere-se a aplicação das mesmas escalas aos pais e outrosfamiliares destes indivíduos, tal como à população em geral. Também se propõe oacrescento e análise de mais características sociodemográficas (e.g., religião); e a análisede características não utilizadas, como o estado civil.
dc.language.isopor
dc.rightsopenAccess
dc.subjectPsicologia
dc.subjectPsychology
dc.titleA (des)complexificação de um mundo censurado: a sexualidade de indivíduos com diversidade funcional aos olhos dos/das profissionais
dc.typeDissertação
dc.contributor.uportoFaculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
dc.identifier.tid201712849
dc.subject.fosCiências sociais::Psicologia
dc.subject.fosSocial sciences::Psychology
thesis.degree.disciplineMestrado Integrado em Psicologia
thesis.degree.grantorFaculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
thesis.degree.grantorUniversidade do Porto
thesis.degree.level1
Appears in Collections:FPCEUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
198301.pdfA (des)complexificação de um mundo censurado: a sexualidade de indivíduos com diversidade funcional aos olhos dos/das profissionais1.57 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.