Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/104977
Author(s): Daniela Patrícia Pinto Gonçalves
Title: Adoção, as palavras que nos vêm ao pensamento: estudo exploratório das representações de adultos da população geral
Issue Date: 2017-06-26
Description: A adoção, embora muito desejada, quer por um casal, quer a nível individual, consiste numprocesso moroso que tem como objetivo primeiro permitir à criança concretizar o direito fundamental decrescer, beneficiando do direito de crescer no seio de uma família que lhe dê amor, segurança e conforto.Quando falamos em adoção devemos ter presente que se trata de um processo, indissociável do discursosociocultural, o qual, por sua vez, vincula inúmeros mitos e preconceitos, impostos pela sociedade o que,em muitos casos, pode contribuir para a fracasso da mesma. O presente estudo teve como objetivoperceber quais as representações sociais que adultos da população portuguesa, em geral, têm acerca daadoção.Para o efeito, recorrendo-se na investigação à Técnica da Associação Livre (TAL), apresentadapela sociologia para o estudo das representações sociais, formulou-se uma "questão aberta" em que erapedido aos participantes que escrevessem palavras soltas ou expressões (no fundo, as primeiras ideias quelhes surgissem) assim que pensavam em adoção. O estudo contou com uma amostra de 531 participantescom idades compreendidas entre os 18 e os 74 anos, média de 33.04 (DP=12.02), 359 (67.6%) demulheres e 172 (32.4%) de homens. Os resultados obtidos, especificamente o índice de riqueza ouhomogeneidade baixo (0.14) são reveladores da existência de uma mesma representação social para ofenómeno da adoção entre a população Portuguesa adulta. A partilha da mesma representação socialsurge, no entanto, ligeiramente mais vincada nas mulheres (0.16) do que nos homens (0.23) e nas pessoassem filhos (0.16), do que nas pessoas com filhos (0.21). Os índices de Ellegard obtidos revelam que oscampos semânticos entre géneros e entre pessoas com ou sem filhos são moderqadamente semelhantes.As expressões são dominantemente positivas e focadas no afeto, na oportunidade para pais e crianças, ena relação. A única expressão reveladora de dificuldades que surge entre as expressões mais importantesno pensamento dos respondentes está relacionada com a morosidade do processo. Estes resultados sãoassim sugestivos de uma representação social positiva, focada nas necessidades das crianças, navalorização de quem se disponibiliza para as adotar e no facto de constituir um processo focado no amor.Dir-se-ia que estas representações sociais parecem contrastar com as de outras épocas em que seencontrava um discurso social muito focado nos problemas que poderiam advir da adoção, para osadotantes. Finalmente, permite pensar que se as ideias espontâneas da população se aproximam do direitoda criança a uma família, estará criado o contexto para com consistência conduzir as práticas profissionaise as atitudes da sociedade em geral, no sentido do cumprimento do superior interesse da criança.
Subject: Psicologia
Psychology
Scientific areas: Ciências sociais::Psicologia
Social sciences::Psychology
TID identifier: 201718014
URI: https://hdl.handle.net/10216/104977
Document Type: Dissertação
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
197508.pdfAdoção, as palavras que nos vêm ao pensamento: estudo exploratório das representações de adultos da população geral581 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.