Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/10045
Author(s): Aguiar, Maria Alberta Fernandes Pacheco
Title: A grávida vítima de violência : Uma Perspectiva de Saúde Mental sobre a violência doméstica
Publisher: Universidade do Porto. Reitoria
Issue Date: 1999
Abstract: Este estudo aborda a temática da grávida vitima de violência - uma perspectiva de Saúde Mental sobre a violência doméstica. Tem como objectivos avaliar:- De que forma a idade da vitima interfere com a violência na gravidez;- Quem é o autor dos actos de violência física e psicológica na gravidez;- A relação entre o nível socioeconómico das mulheres e a violência na gravidez;- De que forma o funcionamento familiar interfere com a violência na gravidez;- De que forma a afectividade interfere na violência durante a gravidez;- De que forma o Locus de controlo da mulher interfere com a violência durante a gravidez;- De que forma as alterações psicopatológicas interferem com a violência na gravidez.Para atingir estes objectivos estudamos um grupo de mulheres (n = 83) em periparto, internadas no serviço de Obstetrícia do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia.O Entrevistador foi o autor do estudo. Durante 42 dias consecutivos, entre o dia 5 de Abril e 16 de Maio de 1999, foram entrevistadas duas mulheres por dia. Os instrumentos utilizados foram: Entrevista estruturada, o Multiple Affect Adjectif Check List (MAACL), o Locus de Controlo (IPC) e o Sympton Check-List (SCL-90R). Os resultados obtidos da aplicação dos instrumentos de colheita de dados às 83 inquiridas, possibilitaram a caracterização da amostra em estudo e o teste das hipóteses formuladas.Os resultados deste estudo mostram:- A média de idades das grávidas vitimas de violência é de 29,33 anos, sendo 27,77 anos para as grávidas não vitimas;- Do total das vitimas 85,71% foram agredidas pelo seu companheiro/conjugue. Em 14,29% dos casos de agressão física durante a gravidez, surge o namorado como autor da agressão o que equivale a dizer que 100% dos casos de agressão física são da autoria de alguém intimamente ligado à vitima;- Quando comparámos as grávidas vitimas com as grávidas não vitimas de violência doméstica constatámos que a relação familiar percebida pelas grávidas vitimas é mais disfunc ...
Description: Dissertação de Mestrado em Psiquiatria e Saúde Mental apresentada à Faculdade de Medicina da Universidade do Porto
URI: http://hdl.handle.net/10216/10045
Document Type: Dissertação
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2546_TM_01_C.pdfVolume 01 Cores35.89 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open
2546_TM_01_P.pdfVolume 01 Preto & Branco10.76 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.