Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/87994
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorPoínhos, Rui
dc.date.accessioned2019-02-06T21:22:55Z-
dc.date.available2019-02-06T21:22:55Z-
dc.date.issued2016
dc.identifier.othersigarra:166330
dc.identifier.urihttps://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/87994-
dc.descriptionA nutrigenética corresponde à infuência dos genes na interacção entre dieta e doença. Os potenciais benefícios de considerar a informação genética na personalização do aconselhamento sobre alimentação saudável tem sido alvo de crescente interesse e investigação. O projecto "Food4Me" (www.food4me.org) visou estudar de forma integrada diversos aspectos relacionados com diferentes formas de nutrição personalizada. Entre outros temas, este projecto estudou a percepção dos consumidores sobre diferentes serviços de nutrição personalizada (nomeadamente considerando a nutrigenética) e os determinantes de aceitação e adesão a estes serviços. Um estudo qualitativo desenvolvido no âmbito do Food4Me (StewartKnox et al., 2013; Appetite. 66:67-74) revelou que a nutrição personalizada é percepcionada por potenciais utilizadores (de 8 países europeus, entre os quais Portugal) como potencialmente benéfca, sobretudo em termos de saúde e forma física. Este trabalho permitiu identifcar vantagens e desvantagens associadas à inclusão da nutrigenética na nutrição personalizada. Num outro trabalho (Poínhos et al., 2014; PLoS One. 9:e110614), em que participaram 9381 adultos de 9 países europeus (incluindo Portugal) foi verifcado que diversas variáveis psicológicas previam as atitudes face à nutrição personalizada, sendo a percepção de benefícios a variável com maior efeito. Por sua vez, as atitudes mostraram ser um preditor directo da intenção de adesão a esse tipo de serviços. Os resultados destes trabalhos permitem defnir estratégias de implementação de serviços de nutrição personalizada que incluam o uso de informação genética. No entanto, o estudo de intervenção realizado no âmbito do mesmo projecto (Personalised nutrition: Paving a way to better population health. A white paper from the Food4Me project. Disponível em: www.food4me.org) revelou que, não obstante a nutrição personalizada como um todo apresentar vantagens face a abordagens que não considerem características individuais, o uso de informação genética não parece acarretar vantagens adicionais face à personalização baseada em dados demográfcos, antropométricos e de estilos de vida.
dc.language.isopor
dc.relation.ispartofRevista APNEP (Associação Portuguesa de Nutrição Entérica e Parentérica)
dc.rightsrestrictedAccess
dc.subjectCiências da Saúde, Ciências da saúde
dc.subjectHealth sciences, Health sciences
dc.titlePersonalizar, personalizar, personalizar: o interesse da nutrigenética
dc.typeResumo de Comunicação em Conferência Nacional
dc.contributor.uportoFaculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação
dc.subject.fosCiências médicas e da saúde::Ciências da saúde
dc.subject.fosMedical and Health sciences::Health sciences
Appears in Collections:FCNAUP - Resumo de Comunicação em Conferência Nacional

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
166330.pdf
  Restricted Access
5.36 MBAdobe PDF    Request a copy from the Author(s)


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.