Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/86979
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorFranchini, Bela
dc.creatorLopes, Joana
dc.creatorCarvalho, Rita
dc.creatorCésar, Rui
dc.creatorPoínhos, Rui
dc.date.accessioned2019-02-07T02:40:56Z-
dc.date.available2019-02-07T02:40:56Z-
dc.date.issued2016
dc.identifier.othersigarra:166311
dc.identifier.urihttps://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/86979-
dc.descriptionA prevalência da desnutrição (DN) em crianças hospitalizadas (CH) é, segundo a literatura, de 6 a 30%, sendo mais elevada (44 a 64%) em crianças com patologia prévia (PP) associada a risco de desnutrição (RDN), e aumenta durante o tempo de internamento (TI). A identificação precoce da DN ou do RDN minimiza as consequências destas condições. O STRONGkids. é uma ferramenta desenvolvida para identificar o RDN em idades pediátricas e que poderá ser útil no diagnóstico, prevenção e intervenção precoce da DN. Objetivos: Avaliar a DN e o RDN em CH; Relacionar o RDN com o TI, a idade, o estado nutricional (EN) [Z-Scores Peso para Estatura (P/E), Estatura para Idade (E/I) e Índice de Massa Corporal para Idade (IMC/I)] e com a presença de PP com RDN. Materiais e Métodos: A amostra foi constituída por 90 crianças (61,1% do sexo masculino) internadas. Foram consideradas as crianças com idade superior a 1 mês e inferior a 18 anos internadas no Serviço de Pediatria num período de 50 dias. Foi registado o sexo, idade, peso, estatura, diagnóstico de admissão, avaliação subjetiva do EN deficitário, aporte nutricional deficitário, incapacidade de se alimentar devido a dor, intervenção nutricional prévia, presença de vómitos e diarreias, perda ponderal ou não aumento de peso e o TI. A presença de DN foi avaliada de acordo com os critérios e classificação da OMS (2007) e o RDN pela aplicação da ferramenta STRONGkids. Resultados e Discussão: A idade média foi de 5,0 anos (mínimo = 0,1; máximo = 17,0) e o TI foi em média de 6 dias (mínimo = 2; máximo = 28). 5,5% das crianças apresentaram desnutrição aguda (DNA) e 16,8% desnutrição crónica (DNC). Dez por cento tinham uma PP com RDN. Metade das CH apresentava risco baixo de DN (47,8% risco moderado e 2,2% risco elevado). As CH com risco moderado/elevado de DN apresentaram Z-scores P/E e IMC/I significativamente mais baixos. Das CH com PP com RDN, 55,5% apresentaram DNC, 11,1% DNA e as restantes adequado EN. Conclusão: Metade das CH avaliadas apresentavam RDN, segundo o STRONGKids, e mais de uma em cada 5 apresentava DN. O STRONGKids mostrou-se uma de rastreio do RDN adequada, sendo a sua aplicação rápida, fácil e prática na identificação de crianças com risco de desenvolverem DN.
dc.language.isopor
dc.rightsrestrictedAccess
dc.subjectCiências da Saúde, Ciências da saúde
dc.subjectHealth sciences, Health sciences
dc.titleAvaliação do risco de desnutrição (através do Strongkids) e da desnutrição em crianças hospitalizadas
dc.typePoster em Conferência Nacional
dc.contributor.uportoFaculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação
dc.subject.fosCiências médicas e da saúde::Ciências da saúde
dc.subject.fosMedical and Health sciences::Health sciences
Appears in Collections:FCNAUP - Poster em Conferência Nacional

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
166311.pdf
  Restricted Access
5.36 MBAdobe PDF    Request a copy from the Author(s)


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.