Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/80385
Author(s): Ismael Eduardo Oliveira dos Santos
Title: Casa Azuma
Issue Date: 2012-11-06
Abstract: The main core of this study is to understand, through an investigation of a specific case, how Tadao Ando conceives the house. Being so, this study begins from his example, representative of his architectural basic principles, the Azuma House.This work that, in a way, represents his maximum space achievement in the seventies, in Japan, considered by many theorists as belonging to a group of monastic buildings, reflects, with a peculiar ability, the intermediation of some traditional values with the specific circumstances of its time. This study is articulated as if it was a compilation of memories of whom, though not being in loco, was willing to understand the convergence of both tradition and modernity in the design of the house. Starting from Azuma House, it is an approach of the Japanese culture, in very specific aspects and particularly in the architectural field. Given the rooted experience of the Japanese way of life, it is implicit that, to understand the origins of the architect and, by extension, his work, it is important to be acquainted with part of the cultural wealth of the archipelago. At the same time, it is of great significance the paramount knowledge of the critical version of Tadao Ando facing the influences of Western architectural thought of the twentieth century.Therefore, the work is observed within a framework that seeks to understand to what extent the Azuma House can be considered as an example which is part of critical regionalism as stated by Kenneth Frampton in Towards a Critical Regionalism.Despite the distance from this house, in Manuel Magalhães House, in Portugal, it can be found some of the purposes and intentions of the first architect, now in the hand of Siza Vieira. This architect, also in the seventies, sought to find answers to an architecture that discusses the importance of cultural values, its own origin, even while accepting the opening of his world to the international context. The instability of the true nature of what is local and what is universal foster a critical position on how to design and, most surely, determined the construction of a particular case, as it is indeed the Manuel Magalhães House.Both houses, either in the Japanese or in the Portuguese context, demonstrate the determination of the authors in creating spaces where, as the result of creativity, they question the extent of the architecture.
Description: O presente estudo tem como principal mote de trabalho perceber, através da investigação sobre um caso concreto, o modo como Tadao Ando entende a casa. Para tal, parte-se do seu exemplo, representativo dos seus princípios básicos da arquitectura, a Casa Azuma.Esta que se elenca como uma espécie de apogeu espacial na sua obra dos anos setenta, no Japão, considerada por alguns teóricos como pertencente a um grupo de obras, monásticas, espelha com uma eloquência particular a intermediação de alguns valores tradicionais, com as circunstâncias próprias do seu tempo. Deste modo, o estudo apresenta-se como uma espécie de compilação de memórias de quem, não estando no lugar, procurou entender o modo como a tradição, e a modernidade foram compatibilizadas através do processo de concepção arquitectónica da casa. Partindo da Casa Azuma, faz-se uma aproximação à cultura japonesa, em aspectos muito específicos e, sobretudo, do domínio arquitectónico. Dada a experiência enraizada do modo de vida japonês, compreende-se que, para entender as origens do arquitecto e, por extensão, da obra, é importante conhecer parte da riqueza cultural do arquipélago. Em paralelo, a par desta apresentação é de suma importância o conhecimento da versão crítica de Tadao Ando face às influências do pensamento arquitectónico ocidental do século vinte.Feito este balanço, a obra é observada dentro de um enquadramento que procura perceber em que medida a Casa Azuma pode ser considerada como um exemplo que faz parte do regionalismo crítico tal como exposto por Kenneth Frampton em Towards a Critical Regionalism.Apesar da distância da obra apresentada, encontram-se na Casa Manuel Magalhães, em Portugal, alguns dos propósitos e intenções, agora pela mão de Siza Vieira. Este arquitecto, também na década de setenta, procurou encontrar respostas para uma arquitectura que problematiza a importância dos valores culturais, próprios da sua origem, ao mesmo passo que aceitava a abertura do seu mundo ao contexto internacional. A instabilidade da verdadeira natureza daquilo que é local e daquilo que é universal fomentam uma posição crítica sobre como projectar e, naturalmente, determinam a construção de um caso particular, como é, efectivamente, a Casa Manuel Magalhães.Uma e outra Casa, no contexto japonês ou português, demonstram a convicção dos autores em criar espaços onde, como fruto da criatividade, se problematiza a extensão da arquitectura.
Subject: Artes
Arts
Scientific areas: Humanidades::Artes
Humanities::Arts
URI: https://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/80385
Document Type: Dissertação
Rights: openAccess
License: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/
Appears in Collections:FAUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
23525.pdfCasa Azuma182.15 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons