Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/80372
Author(s): Pedro João Figueira Nunes
Title: Alvar Aalto. Para uma definição de centro urbano: Seinäjoki, Rovaniemi, Jyväskylä
Issue Date: 2012-11-09
Abstract: "The public buildings' position in the society must be as important as the vitalorgans in the human body, if we do not want our communities contaminated with traffic,become psychologically unpleasant and physically uncontrollable."1The search for new approaches to the production of a new city, a modern city,was the most investigated and discussed theme in the twentieth century. To Aalto, themodern city should, above all, assume a metaphysical role, representing a given culture,a community, and an individual. It is through the detailed and concerned manipulation ofthe physical and psychological needs of the individual - Aalto's "little man" - that hedraws the truly social and democratic city. The perception of transcend in architecture,related to non measurable factors, results from a critic attitude necessarily taken due tothe insufficiency of Functionalism, too much focused in mechanical responses to themodern cities' problem.To Aalto, "there is no bigger honour for a city, than to have a enriched publiclife and have functional e beautiful public spaces."2 Aalto's ideal city, presents as thecommunion of traditions, knowledge and habits, reunited and channelled throughTime. The combination between these knowledges, along with the architectonical set,provides an urban manifestation, named by Aalto as "urban culture".3The personal and professional instruction, jointly with his passion for theMediterranean, became his personal tools, to experiment and preform his thoughtsabout public urban space, among witch, I highlight a matured set of projects: Seinäjoki,Rovaniemi e Jyväskylä.
Description: "A posição dos edifícios públicos na sociedade deve ser tão importante como os órgãos vitais no corpo humano, se não queremos que as nossas comunidades se contaminem de tráfego, se tornem psicologicamente desagradáveis e fisicamente intoleráveis."1A procura de novas abordagens para a produção de uma nova cidade, a cidade moderna, foi o tema mais investigado e discutido no século XX. Para Aalto, a cidade moderna deveria, antes de mais, assumir um papel metafísico, de representação de uma cultura, de uma comunidade, de um individuo. É através da manipulação detalhada e atenta às necessidades físicas e psicológicas do individuo - do "pequeno homem", dizia Aalto - que desenha a cidade verdadeiramente social e democrática. Esta percepção da transcendência na arquitetura, ligada a fatores não mensuráveis, resulta de uma atitude crítica necessariamente tomada perante a insuficiência do funcionalismo, demasiado mecanizado na resposta ao problema da cidade moderna.Para Aalto, "não há maior honra para uma cidade que contar com uma ampla vida pública e dispor de lugares públicos belos e funcionais."2 A cidade ideal de Aalto apresenta-se como a conjugação de tradições, de saberes e de hábitos reunidos, canalizados ao longo do Tempo. A conjugação destes saberes reunidos na vida pública, em comunhão com o conjunto arquitectónico, proporciona a manifestação urbana a que chamou de "cultura urbana".3A sua formação pessoal e profissional, juntamente com a sua paixão pelo mediterrâneo, constituíram as ferramentas necessárias para Aalto experimentar o seu pensamento sobre espaço público urbano, entre as quais destaco um conjunto de obras mais amadurecidas: Seinäjoki, Rovaniemi e Jyväskylä.
Subject: Artes
Arts
Scientific areas: Humanidades::Artes
Humanities::Arts
URI: https://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/80372
Document Type: Dissertação
Rights: openAccess
License: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/
Appears in Collections:FAUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
23451.pdfAlvar Aalto. Para uma definição de centro urbano: Seinäjoki, Rovaniemi, Jyväskylä20.69 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons