Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10216/80341
Author(s): Ricardo Mendes de Freitas
Title: Identidade, Tempo e Memória. Reflexão sobre processos de reabilitação em edificação corrente de valor patrimonial.
Issue Date: 2012-10-22
Abstract: After some time since the emergence of the first theories about intervention in the architectural heritage, and known more or less consensual positions of different architects and critics and more controversial ones, many have been the discussions and works made according to one or other principles.More than the bases of these theories, matters now highlight the positions of Portuguese Architects and critics of nowadays; more than the large-scale and intensely debated interventions, it is interesting to analyze what has been done in the current buildings, what can be improved and what needs to be changed.At a time when the historical centers lose successively inhabitants and its built heritage is becoming more degraded day by day, there is no doubt that action is needed. It is therefore important to discuss how to transform those and other areas and adapt them to contemporary without losing its essence.This work arises because the intervention in heritage, such as architecture, is an area that, before being art or technique, must be conscientious and ethical. As such, it is necessary to define principles of intervention. The starting point consists of three fundamental themes: identity, time and memory.Identity as an intrinsic feature to the object; time as inheritance that results from the work of past generations, and memory as symbolism or connotation that is associated with it.
Description: Passado algum tempo desde o surgimento das primeiras teorias acerca da intervenção no património arquitectónico, e conhecidas as posições mais ou menos consensuais de diferentes arquitectos e críticos e outras mais controversas, muitos têm sido os debates e obras feitas segundo uns ou outros princípios.Mais do que as bases das referidas teorias, interessa agora destacar as posições dos arquitectos e críticos portugueses da actualidade; mais do que as intervenções mediáticas, de grande envergadura e já intensamente debatidas, interessa analisar o que tem sido feito na edificação corrente, o que pode ser melhorado e o que precisa ser mudado.Num momento em que os centros históricos perdem sucessivamente habitantes e o seu património edificado se degrada de dia para dia, não há dúvidas de que é necessário intervir. É, por isso, importante discutir de que forma se pode transformar aquelas e outras áreas e adequá-las à contemporaneidade sem que se perca a sua essência.Este trabalho surge porque a intervenção no património, como a arquitectura, é uma área que, antes de ser arte ou técnica, tem de ser consciente e ética. Como tal, é necessário definir princípios de intervenção. O ponto de partida é composto por três temas fundamentais: identidade, tempo e memória.Identidade enquanto característica intrínseca ao objecto de estudo; tempo enquanto herança que resulta do trabalho de gerações passadas; e memória como simbolismo ou conotação a que está associado.
Subject: Artes
Arts
URI: http://hdl.handle.net/10216/80341
Document Type: Dissertação
Rights: openAccess
License: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/
Appears in Collections:FAUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
23653.pdfIdentidade, Tempo e Memória. Reflexão sobre processos de reabilitação em edificação corrente de valor patrimonial.4.81 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons