Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/80287
Author(s): Elza Liliana de Oliveira Carneiro Lopes
Title: Arquitectura Portuguesa face à Globalização
Issue Date: 2012-11-05
Abstract: With the passage of the years '70 to '80 twentieth century, and the progressive realization of the emergence of so-called globalization, the world has changed inordinate. The territory, due to the great development of the means of communication and transportation, extended to another dimension, the global. They spread values and, as such, would not be behind the culture, whereas, the architecture has undergone considerable transformations. Thus, concepts such as national borders or place no longer have the previous meaning. Around these years of change are, however, several opposing views. On one hand, some say that these years have meant an end. Others, on the other hand, say that that was the beginning of a promising cycle.And the Portuguese Architecture? What will be done when her entry into the global market? An architecture that sometimes was ahead, and at other times remained short of what was produced in the rest of the World, he now holds a global visibility. An architecture that seeks not only the teachings beyond its borders, but it is also a reference for other countries created their icons, globalized up.Public procurement in the vast majority, are now international, being necessary to give answers that fit with the current situation. The crisis is one of the other realities, many leading architects to emigrate. Most leaves Portugal with intentions to return, but have already evident difficulties that this will entail. Many, however, create their ateliers and begin to build a life abroad. Nevertheless, the European crisis is a reality, which contributes to the market and change orders derive increasingly from emerging countries.Currently there are many debates about changes in our environment and architecture. Debate over an architecture that emerges, and how the new generation born within the new technology responds to this current situation.Times changed, as well as their constraints, and the levels of those requirements have changed. It is necessary to reflect on the reality in which we live when debating about continuity or rupture of Portuguese Architecture.
Description: Com a passagem dos anos '70 para os '80 do século XX, e a progressiva constatação do aparecimento da chamada globalização, o mundo sofreu alterações desmesuradas. O território, devido à grande evolução dos meios de comunicação e transporte, estendeu-se para uma outra dimensão, a global. Difundiram-se valores e, como tal, a cultura não ficaria atrás, sendo que, também a arquitetura sofreu transformações consideráveis. Deste modo, noções como fronteiras nacionais ou de lugar deixaram de ter o anterior significado. Em torno destes anos de mudança existem, porém, várias posições antagónicas, se por um lado uns afirmam que estes anos significaram um fim, outros, por sinal, afirmam o oposto, que se tratou do início de um ciclo promissor.E a Arquitetura Portuguesa? Que será feito dela aquando a entrada para o mercado global? Uma arquitetura que por vezes esteve à frente, e que noutros momentos permaneceu aquém do que se produzia no resto do Mundo, vê-se agora detentora de uma visibilidade global. Uma arquitetura que não busca apenas os ensinamentos além-fronteiras, mas que também é referência para os restantes países, criou os seus ícones, globalizou-se.Os concursos públicos, na grande maioria, são agora internacionais, sendo necessário dar respostas que se enquadrem com a situação atual. A crise é uma das outras realidades, levando muitos arquitetos a emigrar. A maioria sai de Portugal com intenções de regressar, mas tem já bem patente as dificuldades que isso vai acarretar. Muitos, porém, criam os seus ateliers e começam a formar uma vida no estrangeiro. Não obstante, a crise é uma realidade Europeia, o que contribui para que o mercado se altere e as encomendas derivem cada vez mais dos países emergentes.Atualmente são muitos os debates acerca das mudanças na nossa arquitetura e conjuntura. Debate-se sobre uma arquitetura que emerge, e de que forma a nova geração nascida no seio das novas tecnologias dá resposta a esta atual situação.Os tempos mudaram, assim como as suas condicionantes, e os patamares de exigências das pessoas também se alteraram. É necessário refletir sobre a realidade em que vivemos quando debatemos acerca de uma continuidade ou rutura da Arquitetura Portuguesa.
Subject: Artes
Arts
Scientific areas: Humanidades::Artes
Humanities::Arts
URI: https://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/80287
Document Type: Dissertação
Rights: openAccess
License: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/
Appears in Collections:FAUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
23606.pdfArquitectura Portuguesa face à Globalização1.82 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons