Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10216/79412
Author(s): Marques, Helder
Title: O verde produtivo na AMP no horizonte 2020
Issue Date: 2015
Abstract: Thinking about how the productive green in the Porto metropolitan area will be structured, within a temporal gap that closes on the Horizon 2020, implies not only a diagnosis, but also, and above all, the ability to understand the major changes under way, seeking to distinguish those which are, or appear to be, merely circumstantial, of those which, once installed, have sufficient capacity to be decisive in the short and medium term. Then it is necessary to establish, in accordance, the main objectives to be achieved from the design of public policies, i.e. what are the broad spectrum values to be achieved, in this case the sustainability of production systems, environmental and landscape suitability and the creation of economic value. Once we analyze the constraints, we understand that the agroforestry sistems is perhaps the one that, in the field of productive systems that create economic value, is more influenced by decisions that are foreign to our sovereignty, whether by central or local administration, because the incentives and pricing policies are essentially determined by the CAP. Then, we present a synthesis characterization, analyzing the behavior of the variables that experience has shown to have a greater heuristic power. We finish with a stub and typification of the territorial model expected in the short term, as well as of the main associated production systems. In this sense, four macro territories were defined. They are simultaneously diachronically resistant and synchronously malleable, although to a lesser extent, namely: i- Territories of "prohibition"; ii- the territories of "renaturation"; iii- new soft territories, with dominance of the productive green; iv- territories dominated by the intensive production sectors.
Description: Pensar a forma como se estruturará o verde produtivo na Área Metropolitana do Porto, num corte temporal que se fecha no horizonte 2020, implica não só um diagnóstico do que ele é, mas também, e sobretudo, a capacidade de compreender as principais alterações em curso, procurando distinguir as que são, ou parecem ser, meramente conjunturais, daquelas que, uma vez instaladas, têm capacidade suficiente para serem determinantes no curto e médio prazo. Depois é necessário estabelecer, em conformidade, os principais objetivos a atingir a partir dos desígnios das políticas públicas consensualizadas, ou seja, quais são os valores de largo espectro a atingir, neste caso a sustentabilidade dos sistemas produtivos, a adequação ambiental e paisagística, a que acresce a criação de valor. São também observadas as condicionantes, até porque o complexo agroflorestal é talvez aquele que, no domínio dos sistemas produtivos de criação de valor, está mais condicionado por decisões que são estranhas à nossa soberania, quer se trate da administração central ou local, quanto mais não fosse porque as políticas de incentivos e preços são essencialmente determinadas pela PAC. Passa-se, depois, a uma caracterização de síntese, recorrendo a um conjunto de indicadores, os quais, uma vez agregados em diferentes variáveis, permitem um maior poder heurístico. Fecha-se com um esboço e tipificação do modelo territorial expectável no curto prazo, assim como dos principais sistemas produtivos que lhe estão associados. Nesse sentido, foram definidos quatro macro territórios, a saber: i -Territórios de "interdição"; ii - Territórios de "renaturalização"; iii - Novos territórios de amenidade e dominância do verde produtivo; iv - Territórios de dominância das fileiras produtivas intensivas.
Subject: Humanidades
Humanities
URI: http://hdl.handle.net/10216/79412
Document Type: Artigo em Revista Científica Nacional
Rights: openAccess
License: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/
Appears in Collections:FLUP - Artigo em Revista Científica Nacional

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
102725.pdf2.62 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons