Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10216/77440
Author(s): Joana Isabel Pereira Martinho
Title: O espaço para a criança na cidade. Um estudo crítico a partir da experiência de Aldo Van Eyck
Issue Date: 2014-11-03
Abstract: Playgrounds have a prominent role in the urban fabric, acting not only as places for children to play and develop their imagination, but also, as public spaces capable of assigning identity within a community.During the post-World War II period, a new attitude towards children and play arose, leading to the appearance of several types of playgrounds and different approaches in their design. One of the most remarkable examples which will be the case study of this thesis, are the more than 700 playgrounds that the Dutch architect Aldo van Eyck designed between 1947 and 1978 for Amsterdam. This authentic "network" of public spaces, was part of a strategy for the reconstruction of the city, which differed from the functionalist approach of the Modern Movement, preconized by the CIAM (International Congresses of Modern Architecture).This thesis intends to understand the emergence of the parks of Amsterdam within its historical and social context; analyze its parallelism with the visual arts and playgrounds of the same period in order to ascertain its influences; investigate their spatial, formal and compositional characteristics; and ultimately contribute to the study of the architect Aldo van Eyck and one of his most original works of architecture and urbanism.
Description: Os parques infantis desempenham um papel importante no tecido urbano, funcionando não só como lugares para as crianças brincarem e desenvolverem a sua imaginação, mas também, como espaços públicos capazes de atribuir identidade dentro de uma comunidade.Durante o período do pós-Segunda Guerra Mundial, surge uma nova atitude em relação à criança e ao jogo, que impulsiona o aparecimento de vários tipos de parques e de diferentes abordagens na sua concepção. Um dos exemplos mais notáveis, e que será o objecto de estudo desta prova, são os mais de 700 parques infantis que o arquitecto holandês Aldo van Eyck desenhou para Amesterdão entre 1947 e 1978. Esta autêntica "rede" de espaços públicos, fazia parte de uma estratégia de reconstrução da cidade, que se diferenciava da abordagem funcionalista do Movimento Moderno, preconizada pelos CIAM (Congressos Internacionais de Arquitectura Moderna).A presente dissertação pretende, neste sentido, compreender o surgimento dos parques de Amesterdão dentro do seu contexto histórico e social; analisar o seu paralelismo com as artes plásticas e parques do mesmo período no sentido de averiguar influências; investigar as suas características espaciais, formais e compositivas; e por fim, contribuir para o estudo do arquitecto Aldo van Eyck e uma das suas mais originais obras de arquitectura e urbanismo.
Subject: Artes
Arts
TID identifier : 201544679
URI: http://hdl.handle.net/10216/77440
Document Type: Dissertação
Rights: openAccess
License: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/
Appears in Collections:FAUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
33542.pdfO espaço para a criança na cidade. Um estudo crítico a partir da experiência de Aldo Van Eyck29.92 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons