Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10216/69610
Author(s): Sofia I. V. Sousa
M. C. M. Alvim Ferraz
M. Carmo Pereira
F. G. Martins
Title: Avaliação das concentrações pré-industriais e actuais de ozono superficial através de séries temporais
Issue Date: 2004
Description: A importância do estudo das concentrações de ozono superficial está relacionada com os seusefeitos nocivos quando se atingem níveis elevados deste poluente.Do ozono existente actualmente na troposfera, apenas 20% se deve à intrusão estratosférica,resultando os restantes 80% da formação fotoquímica. No entanto, quando as emissõesantropogénicas ainda não afectavam a qualidade do ar, o ozono troposférico tinha origemfundamentalmente no transporte a partir da estratosfera. Assim, a análise no período pré-industrial, quando a formação fotoquímica era insignificante, fornece informações importantessobre a contribuição da actividade humana no aumento das concentrações superficiais de ozono.Com o objectivo de avaliar essa contribuição na área do Porto, foram comparadas concentraçõesem duas épocas com emissões atmosféricas completamente distintas: um período recente (2002-2003) e um período anterior ao desenvolvimento industrial da região (1861-1897). Foramestudadas as correlações mensais entre a concentração de ozono e a humidade relativa, na erapré-industrial. Foram comparadas as evoluções sazonais e as médias anuais dos dois períodosestudados e avaliados os impactes na saúde comparando as concentrações com os limiareslegislados. A análise comparativa das séries temporais das concentrações de ozono e dastemperaturas máxima e mínima, velocidade do vento e precipitação, permitiu a identificação deciclos de concentrações que foram relacionados com a actividade humana em cada um dosperíodos.Os resultados obtidos permitem concluir que as concentrações superficiais de ozono têm sofridoum elevado aumento desde a era pré-industrial, tendo-se observado um aumento de 250% nomês de Maio. A análise de séries pré-industriais revelou que os ciclos existentes são sazonaisexcluindo a influência das actividades humanas. No período recente, os ciclos de 8 hencontrados nas concentrações de ozono, provam a grande influência dos factoresantropogénicos, sendo os factores meteorológicos responsáveis pelos ciclos de 12 h e 24 hidentificados.
Subject: Ciências da engenharia e tecnologias
Call Number: 65236
URI: http://hdl.handle.net/10216/69610
Source: 8ª Conferência Nacional de Ambiente
Document Type: Artigo em Livro de Atas de Conferência Nacional
Rights: openAccess
License: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/
Appears in Collections:FEUP - Artigo em Livro de Atas de Conferência Nacional

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
65236.pdf249.04 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons