Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/64641
Author(s): Filipe Batista e Silva
Teresa Sá Marques
Carlos Delgado
Title: Processos de expansão urbana e mudanças na paisagem: ensaio metodológico (1950-2000)
Issue Date: 2012
Abstract: The second half of the 20th century witnessed the rapid expansion of built-up areas practically all over the world. In Portugal, this phenomenon took place particularly along the coastal strip and around its two main cities, Lisbon and Porto. Economic and demographic growth led to processes of urban expansion, which in turn bolstered the development of extensive urbanized continuums, contributing to the consolidation of the metropolitan areas and transformation of landscapes. Greater knowledge of the recent processes of urbanization is of interest to the geographical sciences, as well as to applied fields such as spatial planning. Since their initial development, Geographical Information Systems (GIS) and automatic mapping tools have opened new horizons in Cartography, with a potential which should be taken advantage also in the study of landscapes and, particularly, of urban growth. From a morphological point of view, a study of urban expansion necessarily has to be based on multitemporal mapping. More than successive static pictures, multitemporal mapping produces a dynamic image of the process, providing support to ensuing explanatory studies. In Portugal, the studies on urban expansion are limited either by the reduced scale employed or by their reduced focus (studies of small areas or single cities). Increasingly in use, techniques based on the classification and/or interpretation of satellite images produce multitemporal cartography at much larger scale and coverage. However, these techniques have limitations, given their recent development: it is not possible to map built-up areas prior to 1980. The limitations in producing multitemporal urban cartography at regional and sub-regional scales could be mitigated by an approach integrating information from old editions of topographic mapping in a GIS, which could thus track the process of urban growth for a certain time frame. In this paper, this approach was employed to prepare a multitemporal cartographic database of built areas, with three moments comprising the second half of the 20th century. These databases also served to produce a set of "morpho-densimetric" indicators related to built-up areas, for the three temporal moments, leading to analyses on the pace and forms of recent urbanization in the area under study (the Porto metropolis). We believe that the approach proposed can open new perspectives for cartographic production, as well as for the study and understanding of recent urbanization processes and its implications on the landscape dynamics.
Description: A segunda metade do século XX conheceu um fenómeno de expansão das áreas edificadas por quase todo o Mundo. Em Portugal, este fenómeno observou-se com particular incidência na faixa litoral e em torno das duas principais cidades portuguesas, Lisboa e Porto. O crescimento económico e demográfico conduziu à expansão da mancha edificada, e esta potenciou o desenvolvimento de extensos contínuos urbanizados que contribuíram para a consolidação das áreas metropolitanas, e determinou fortes mudanças na paisagem. Aprofundar o conhecimento sobre os processos de urbanização recentes é de interesse para as ciências geográficas, mas também para disciplinas aplicadas como o planeamento territorial. Desde o seu surgimento, os Sistemas de Informação Geográfica (SIG) e as ferramentas de cartografia automática têm aberto novos horizontes para a Cartografia, com potencialidades que devem ser aproveitadas também no estudo das paisagens e, em particular, do crescimento urbano. Do ponto de vista morfológico, o estudo da expansão urbana não pode deixar de se apoiar em cartografia multi-temporal. Mais do que sucessivos retratos estáticos, a cartografia multi-temporal permite construir uma imagem dinâmica do processo, apoiando subsequentes estudos explicativos. Em Portugal, o que se tem produzido sobre expansão urbana ou está limitado pela reduzida escala ou pela reduzida extensão (estudo de áreas restritas ou de cidades isoladamente). Cada vez mais adoptadas, as técnicas baseadas em classificação e/ou interpretação de imagens de satélite permitem produzir cartografia multi-temporal de escala e extensão bastante maiores. Todavia, estas técnicas estão limitadas pelo seu recente surgimento: cartografar o espaço edificado em períodos anteriores à década de 1980 não é possível. As limitações conhecidas para a produção de cartografia urbana multi-temporal para escalas regionais e sub-regionais podem ser diminuídas através de uma abordagem que recorra à integração em SIG de informação contida em edições antigas de cartografia topográfica, permitindo cartografar o processo de crescimento urbano para um determinado intervalo de tempo. Neste trabalho, esta abordagem foi seguida para preparar uma base cartográfica multi-temporal do edificado, com três momentos que cobrem a segunda metade do século XX. Estas bases permitiram ainda a produção de um conjunto de indicadores "morfo-densimétricos" relativos às áreas edificadas, para os três momentos temporais, possibilitando análises sobre os ritmos e as formas de urbanização recente na área de estudo (metrópole do Porto). Crê-se que a abordagem proposta permite abrir novas perspectivas para a produção cartográfica, o estudo e a compreensão dos processos recentes de urbanização e das suas implicações nas dinâmicas da paisagem.
Subject: Ciências sociais
Social sciences
Scientific areas: Ciências sociais
Social sciences
URI: https://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/64641
Document Type: Artigo em Revista Científica Nacional
Rights: openAccess
License: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/
Appears in Collections:FLUP - Artigo em Revista Científica Nacional

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
76470.pdf1.2 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons