Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/39221
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorSantos, Pedro Neves de Carvalhopt_PT
dc.date.accessioned2012-01-21T04:20:33Z-
dc.date.available2012-01-21T04:20:33Z-
dc.date.issued2006pt_PT
dc.identifier.other000175809pt_PT
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10216/39221-
dc.description.abstractDurante mais de meio século, o cinema português viveu amordaçado por uma censura férrea que teimava em esconder a realidade. Durante mais de meio século, os documentários portugueses mostravam um país folclórico e afastado da realidade, onde os problemas não existiam e as realidades se escondiam. Mas um dia, a 25 de Abril de 1974, chegou a Revolução. E o cinema soltou amarras para começar a navegar por realidades nunca antes apresentadas. O documentário foi para a rua aos sons das palavras de ordem que clamavam por liberdade. Começou a acompanhar a transformação da sociedade. Começou também ele a transformar-se. Formaram-se cooperativas de cinema, criaram-se Unidades de Produção Cinematográfica. Com uma nova vaga de documentaristas, nasceu o documetário de intervenção. Primeiro cheio de vozes e imagens encantadas, cheio de utopias e sonhos que se revelavam no olhar. Queria educar, intervir, fazer agir, provocar a mudança. queria mostrar tudo o que antes parecia não existir. Filmaram-se projectos de habitação social, vivências comunitárias, ocupações de terras, plenários, greves, manifestações, eleições, tomadas de posse, fábricas em autogestão. Nunca a produção cinematográfica foi tão grande neste país. O cinema reflectia-se na sociedade. E a sociedade reflectia-se no cinema. O grande factor de união entre os cineastas - o antifascismo - entrou em ruptura com a liberdade. Cedo o sonho se desvaneceu. E as imagens encantadas foram substituídas por imagens magoadas. O entusiamo foi dando lugar à lamentação, à introspecção, à reflexão. Em 1980, a Revolução acaba, definitivamente, no documentário de Abril. Hoje, restam as memórias e as imagens do período mais marcante da história do documentarismo português. (...)pt_PT
dc.languageporpt_PT
dc.publisherPorto : [Edição do Autor]pt_PT
dc.rightsopenAccesspt_PT
dc.source.urihttp://aleph.letras.up.pt/F?func=find-b&find_code=SYS&request=000175809pt_PT
dc.subjectDocumentáriopt_PT
dc.subjectRevolução - Portugal - 25 de Abril de 1974pt_PT
dc.titleA intervenção da imagem : encanto e desencanto dos documentaristas da Revolução de Abril (1974-1980)pt_PT
dc.typeDissertaçãopt_PT
Appears in Collections:FLUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tesemestintervencaodaimagem000075228.pdf2.47 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.