Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/146234
Author(s): Cunha, Luís Filipe
Title: The expression of futurity in Spanish and Portuguese: similarities and differences
Issue Date: 2022
Abstract: The primary goal of this paper is to establish a comparison between the two most important forms that express futurity in Spanish and in European Portuguese, viz. the Futuro Simple / Futuro Simples (Simple Future) and the structure ir ('go') a / ir ('go') + Infinitive. Whereas the Simple Future behaves quite similarly in both languages, conveying temporal information of posteriority that may be strongly constrained by modal and aspectual factors, the periphrastic construction differs considerably in Spanish and in European Portuguese. In effect, contrary to its Spanish counterpart, which is considered, in the literature, ambiguous between an aspectual (prospective) and a temporal (future) operator, the data from European Portuguese point towards a consistent temporal meaning for the structure ir ('go') + Infinitive. Here, I investigate the conditions under which these forms are licenced, in order to describe their semantic similarities and differences; moreover, since they both mainly bear temporal information, I compare the behaviour of the European Portuguese Futuro Simples and the structure ir ('go') + Infinitive, proposing that the former is less restricted than the latter: that is to say, aside from the location of a given situation in a future interval, ir ('go') + Infinitive seems to require an additional temporal boundary preventing the relevant eventuality to overlap the speech time.
Description: O objetivo central deste trabalho é o de estabelecer uma comparação entre as duas formas mais importantes que expressam a futuridade em espanhol e em português europeu, nomeadamente o Futuro Simple / Futuro Simples e a estrutura ir a / ir + Infinitivo. Enquanto as formas de futuro simples se comportam de maneira bastante semelhante nas duas línguas, transmitindo informação eminentemente temporal de posterioridade, que, todavia, pode ser fortemente restringida por fatores modais e aspectuais, a construção perifrástica difere consideravelmente em espanhol e em português europeu. Com efeito, ao contrário do seu equivalente espanhol, que é considerado, na literatura, ambíguo entre um operador aspectual (prospetivo) e um operador temporal (futuro), os dados do português europeu apontam para um significado temporal consistente para a estrutura ir + Infinitivo. Assim, investigamos as condições sob as quais estas formas são licenciadas, a fim de fornecer uma descrição das suas semelhanças e diferenças a nível semântico. Além disso, uma vez que ambas as configurações veiculam principalmente informação de natureza temporal, comparamos o comportamento do futuro simples do Português Europeu e da estrutura ir + Infinitivo, propondo que o primeiro é menos restritivo do que a segunda: além da localização de uma dada situação num intervalo futuro, ir + Infinitivo parece requerer a presença de um limite temporal adicional evitando que a eventualidade relevante se prolongue até ao momento da enunciação
Subject: Ciências da linguagem
language sciences
URI: https://hdl.handle.net/10216/146234
Document Type: Artigo em Revista Científica Internacional
Rights: openAccess
Appears in Collections:FLUP - Artigo em Revista Científica Internacional

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
595316.pdf784.35 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.