Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/137301
Author(s): Cunha, Luís Filipe
Title: Propriedades temporais do futuro simples em português europeu
Issue Date: 2021
Abstract: The main goal of this paper is to discuss some of the most relevant temporal properties that characterise the Futuro Simples (Simple Future) in European Portuguese. We will begin by demonstrating that, although this tense most frequently conveys modal information, it occurs in contexts in which its role is undoubtedly to locate a situation in a future time interval. In this respect, we will compare some alternative analyses in order to provide an adequate description of the temporal properties displayed by the Futuro Simples (Simple Future). We will assume that this tense conveys a systematic relation of posteriority regarding the speech time. Our assumption not only correctly accounts for the locating properties of the Futuro Simples (Simple Future) concerning the ordering of situations on the time axis, but also accommodates the aspectual restrictions shown by the so-called conjectural readings of the future tense. Finally, we will compare the temporal behaviour of the Futuro Simples (Simple Future) with that of the structure ir ('go') in the present tense + Infinitive, hypothesising that the latter construction imposes additional temporal restrictions - in particular, the presence of a boundary after t0 beyond which the situations could not extend - that prevent its overlapping with the speech time, even if stative predications are involved.
Description: O objetivo central do presente trabalho é o de discutir algumas das propriedades temporais que caracterizam o Futuro Simples em Português Europeu. Começaremos por demonstrar que, embora este tempo gramatical veicule frequentemente informação de cariz modal, existem inúmeros contextos em que a sua função é claramente a de localizar uma situação num intervalo futuro. Nesse sentido, discutiremos algumas propostas de análise para o Futuro Simples que nos permitam dar conta das suas propriedades temporais. Assumiremos que o referido tempo gramatical exprime tipicamente uma relação de posterioridade no que diz respeito ao momento da enunciação. Uma tal abordagem permite-nos dar conta não apenas dos casos de mera localização das eventualidades no eixo temporal, mas também das restrições aspetuais a que a designada leitura conjetural do Futuro Simples está sujeita. Finalmente, estabeleceremos uma comparação sistemática entre as propriedades temporais do Futuro Simples e da construção ir (no Presente do Indicativo) + Infinitivo, sustentando a ideia de que esta última apresenta restrições adicionais a nível temporal - em particular, a imposição de uma fronteira posterior a t0 para além da qual as situações não se poderiam estender -, o que explicaria a total impossibilidade da sua comparência em configurações de sobreposição ao momento da enunciação, mesmo quando estão em causa predicações estativas
Subject: Linguística
Linguistics
URI: https://hdl.handle.net/10216/137301
Document Type: Artigo em Revista Científica Internacional
Rights: openAccess
Appears in Collections:FLUP - Artigo em Revista Científica Internacional

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
512166.pdf334.41 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.