Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/131757
Author(s): María Rial Martínez de Alegría
Title: Arquitectura e Imagen. Tensiones entre espacio y fotografia
Issue Date: 2020-12-14
Abstract: Establishing the foundations of aesthetics through different philosophical trends, it is possible to analyse the basis of the judgements that are expressed around architecture. The historical perspective allows us to study this analytical behaviour of knowledge and to conclude a series of components that explain the appearance of the urban landscape according to the time and place. On the other hand, the consumer society, guided by the impositions of an industry in continuous evolution, lives in a constant yearning conditioned by the disturbing speed with which products are developed. In this way, they try to touch the customer's sensibility so he does not stop pursuing his new expectations. Since the appearance of photography and its subsequent digitalisation, in the field of architecture it has conditioned the way in which a set of spaces created for the human being are looked at, felt and understood. Moreover, its nature has been altered, to a great extent, by this phenomenon which allows us to reach a wider sample of the population from the two-dimensional. Thus, the infinite access to images provokes the mass diffusion of the projects, making each one create his own image from all of them. In this way, when the individual turns to specialised media, he models his mental image based on the perspective and filter of a photographer who decides and selects what he thinks should be highlighted. For this reason, we analyse the different approaches that have managed to expose the work from a specific perspective, in accordance with the image of the architect that is constructed. In social media and digital publications, a photographic line known as commercial is usually followed, where the importance of the space, its functioning or appropriation is often relegated to a secondary place. The immediacy of the digital revolution does not let make deep analysis beyond the superficial appearance. As a result, the consumer society promotes architectural icons that are visually attractive, with less attention paid to enhancing life within them. Therefore, through the analysis of the current context, where photography is one more component of the architectural project, we try to conclude the influence of photography in the design and thought of new works more focused on the visual than the spatial component, because its knowledge and diffusion is produced through the result of the image selected for it.
Description: Ao lançar as bases da estética através de diferentes correntes filosóficas, é possível analisar a base dos juízos que se manifestam em torno da arquitectura. A perspectiva histórica permite-nos estudar este comportamento analítico do conhecimento e concluir uma série de componentes que explicam a aparência da paisagem urbana de acordo com o momento e o lugar. Por outro lado, a sociedade de consumo, guiada pelas imposições de uma indústria em contínua evolução, vive num anseio constante condicionado pela velocidade inquietante com que os produtos são desenvolvidos. Desta forma, tentam tocar a sensibilidade do cliente para que ele não deixe de perseguir as suas novas expectativas. Desde a emergência da fotografia e da sua posterior digitalização, no campo da arquitectura condicionou a forma de olhar, sentir e compreendem o conjunto de espaços criados para o ser humano. Além disso, a sua natureza foi alterada, em grande medida, por este fenómeno, que permite alcançar uma amostra mais vasta da população a partir das duas dimensões. Assim, o acesso infinito às imagens provoca a difusão em massa dos projectos, fazendo com que cada um crie a sua própria a partir de todas elas. Desta forma, quando se consultam os meios especializados, o indivíduo modela a sua imagem mental com base na perspectiva e filtro de um fotógrafo que decide e selecciona o que pensa que deve ser destacado. Por esta razão, são analisadas as diferentes abordagens que conseguiram expor a obra de uma perspectiva específica, de acordo com a imagem que é construída do arquitecto. Nas redes sociais e publicações digitais, é normalmente seguida uma linha fotográfica conhecida como comercial, onde frequentemente a importância do espaço, o seu funcionamento ou apropriação é relegada para um plano secundário. O imediatismo da revolução digital não deixa espaço para uma análise profunda para além da aparência superficial. Como resultado, a sociedade de consumo promove ícones arquitectónicos, visualmente atraentes, com menos atenção à melhoria da vida no seu interior. Assim por isso, através da análise do contexto actual, onde a fotografia é mais uma componente do projecto arquitectónico, tentamos concluir a influência da fotografia na concepção e pensamento de novas obras mais focalizadas na componente visual do que na espacial, devido ao facto do seu conhecimento e difusão ser produzido através do resultado da imagem seleccionada para a mesma.
Subject: Artes
Arts
Scientific areas: Humanidades::Artes
Humanities::Arts
TID identifier: 202631699
URI: https://hdl.handle.net/10216/131757
Document Type: Dissertação
Rights: openAccess
Appears in Collections:FAUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
438598.pdfArquitectura e Imagen. Tensiones entre espacio y fotografia67.57 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.