Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/131643
Author(s): Beatriz Ferreira Merouço
Title: Mapear a mobilidade, a partir de Gonça, Guimarães
Issue Date: 2020-12-14
Abstract: This thesis focuses on a small, low density, urban agglomeration, in order to raise a broader reflection on mobility as an essential dimension of the territory and the urbanization processes of an hyperactive society. This small settlement makes up a civil parish on the edge of Guimarães which borders with Braga to the north and with Fafe to the west. Here the urban network is fragmented and stands out from the continuous and scattered urban patchwork that covers the southwest area of the municipality and extends through the Ave Valley to the municipalities of Vila Nova de Famalicão, Santo Tirso and Trofa. Here the discussion on territory tries to steer away from a purely technocratic point of view and makes a claim for architecture as a political project. One that is able to escape from immediate solutions, disconnected from and unconscious of the idea of society that takes shape through form. In this study, an understanding on mobility and, consequently, on territory is developed from an interview with three Gonça residents. Although the spoken word is captured and interpreted with the help of established concepts, here the inhabitants take on the role of primary source of study for the use of the territory or, in other words, for the play of movements and stays within it. This study does not limit itself to written reflection, it also involves the desire to enrich these reflections through the means of drawing.
Description: Esta dissertação aproxima-se de um pequeno aglomerado urbano de baixa densidade, para, a partir dele, levantar uma reflexão alargada sobre a mobilidade, uma dimensão essencial para estudar o território e os processos de urbanização de uma sociedade hiperativa. Este pequeno aglomerado corresponde a uma freguesia limítrofe do município de Guimarães que faz fronteira a norte com o município de Braga e a oeste com o município de Fafe. Aqui a malha urbana é fragmentada e destaca-se da mancha contínua e dispersa que cobre a área sul e oeste do município e se estende pelo Vale do Ave até Vila Nova de Famalicão, Santo Tirso e Trofa. A reflexão que aqui se monta sobre o território tenta fugir de uma abordagem tecnocrática e reclamar para a disciplina um projeto político, capaz de fugir a soluções imediatas, desarticuladas e inconscientes da ideia de sociedade que materializam através da forma. Neste estudo a leitura da mobilidade e, consequentemente, do território é feita a partir de uma entrevista a três habitantes do aglomerado em questão, Gonça. As palavras recolhidas são depois articuladas por conceitos estudados, mas os habitantes têm aqui o papel de fonte primária para estudar o uso do território ou, por outras palavras, o jogo de movimentos e permanências. O estudo a que me proponho nesta dissertação não se esgota na reflexão escrita, mas passa também pela vontade de enriquecer estas reflexões a partir do desenho.
Subject: Artes
Arts
Scientific areas: Humanidades::Artes
Humanities::Arts
TID identifier: 202630854
URI: https://hdl.handle.net/10216/131643
Document Type: Dissertação
Rights: openAccess
Appears in Collections:FAUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
437665.pdfMapear a mobilidade, a partir de Gonça, Guimarães5.56 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.