Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/129441
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorBernardo João Lourenço Vinagre
dc.date.accessioned2021-02-12T00:10:56Z-
dc.date.available2021-02-12T00:10:56Z-
dc.date.issued2020-07-09
dc.date.submitted2020-10-15
dc.identifier.othersigarra:423275
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/10216/129441-
dc.descriptionA dissertação que se apresenta, intitulada 'a máquina do vinho', resulta de uma reflexão teórica em torno de um exercício de projeto a partir do qual se procura construir uma posição crítica sobre o exercício da arquitetura. Partimos da necessidade de pensar uma adega para a Quinta do Pessegueiro, na Beira Interior, para identificar e explorar um conjunto de temas que sendo particularmente relevantes neste exercício estão sempre presentes na prática do projeto e orientam o nosso modo de ver, pensar e fazer arquitetura. A narrativa que se apresenta divide-se em três partes, duas de reflexão e uma de prática. O binómio nietzschiano instinto-intelecto, que se dedica a explorar dois tipos diferentes de assimilação e construção de conhecimento, e a prova desse mesmo conhecimento através do ato criativo, num terceiro momento - o evento. O instinto ocupa-se dos temas que se foram revelando a partir do momento que começamos a desenhar uma adega. Da sensualidade das formas do vinho à racionalidade e economia das máquinas, existe uma vontade de trabalhar uma posição de equilíbrio entre Apolo e Dioniso. Um compromisso entre turismo e indústria. O intelecto remete para uma construção de conhecimento que parte com um objetivo - tornar mais concreto o exercício pela identificação dos temas mais importantes ao projeto de uma adega. Procuramos estudar a gravidade, no seu estado físico e metafísico, tal como o meio em que atua, o espaço-tempo, onde pretendemos expor um enquadramento da luz enquanto referência temporal. O último texto deste capítulo constrói sobre a ideia de movimento. Em fluxos, estudamos as dinâmicas que permitem diferentes alterações de estado no tempo. O evento é a concretização do conhecimento construído nos dois primeiros capítulos através do ato criativo que pretende justificar a sua pertinência. Do problema antigo da quadratura do círculo, que coloca o homem em frente a Deus, ao trabalho do limite entre uma e outra coisa, no interstício, procuramos a liberdade de um espaço em potência, que se assume como uma estrutura do acontecimento, que não o desenha. Esta dissertação assume-se como uma partida. Referimo-nos especificamente jogo das construções do vinho. Uma postura de projeto que procura conhecer o mundo sobre o qual trabalha com a mesma intensidade que se conhece a si própria. Uma reflexão sobre um espaço que ainda não conhecemos, mas que existe, em potência.
dc.description.abstractThe dissertation we are presenting, entitled 'the wine machine', is a result of a theoretical reflexion around a project exercise from which we are trying to build a critical position about the exercise of architecture. We started from the need to design a winery for Quinta do Pessegueiro, in Portugal, to identify and explore a number of themes that while being particularly relevant in this exercise are always present in the practise of project and guide our way of seeing, thinking and doing architecture. The narrative we are presenting is divided in three parts, two of reflexion and one of practise. The Nietzschean binomial instinct-intellect, that looks towards exploring two different kinds of assimilation and building of knowledge, and the trial of that same knowledge through the creative act, in a third moment - the event. The instinct occupies itself with the themes that unraveled from the moment we started to design a winery. From the sensuality of the shapes of wine to the rationality and economy of the machines, there is a will to work out a position of balance between Apollo and Dionysos. A compromise between tourism and industry. The intelect refers to a building of knowledge that starts with an objective - to make clearer the exercise by the identification of the most important themes to the project of a winery. We try to study gravity, in its physical and metaphysical state, like the medium it operates in, the spacetime, where we intend to expose an understanding of light has a reference of time. The last text in this chapter builds on the notion of movement. In flows, we study the dynamics that allow for different changes of state in time. The event is the concretization of the knowledge built in the first two chapters through the creative act that intends to justify its relevance. From the ancient problem of the squaring of the circle, that scales man up against God, to the work of the limit betwen one and another thing, in interstice, we look for the freedom of a potential space, that presents itself has a structure of the experience, without trying to choreograph it. This dissertation views itself has a singular match. We are referring specifically to the game of wine constructions. A posture of project that looks forward to know the world it operates in with the same intensity it knows itself. A reflexion about a space we do not know yet, but that exists potentially.
dc.language.isopor
dc.rightsopenAccess
dc.subjectArtes
dc.subjectArts
dc.titleA Máquina do Vinho
dc.typeDissertação
dc.contributor.uportoFaculdade de Arquitectura
dc.identifier.tid202630889
dc.subject.fosHumanidades::Artes
dc.subject.fosHumanities::Arts
thesis.degree.disciplineMestrado Integrado em Arquitetura
thesis.degree.grantorFaculdade de Arquitectura
thesis.degree.grantorUniversidade do Porto
thesis.degree.level1
Appears in Collections:FAUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
423275.pdfA Máquina do Vinho26.06 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.