Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/120634
Author(s): Oliveira, Fátima
Leal, António
Title: Sobre a natureza homogénea do Pretérito Perfeito Composto em Português Europeu
Issue Date: 2018
Abstract: In European Portuguese, 'Pretérito Perfeito Composto' (PPC) is a tense that presents somepeculiarities distinguishing it clearly from similar constructions in other languages. Althoughthis construction exhibits a single-eventuality reading in other languages, in EP there is typicallya multiple eventuality reading. So, in the first part of this paper, we discuss the quantificationover situations underlying the PPC in EP considering the notions of frequency, habituality anditeration. We argue that iteration is the relevant concept, as PPC converts an undeterminednumber of basic events of the same type into a single event.However, in some cases, the PPC in EP has a second reading available: a single-eventuality,like in other languages. Therefore, in the second part of this paper, we present an aspectualanalysis of the PPC that includes both the single-event reading and the iterative reading,in order to provide a unified explanation for both readings. To do so, we will resort to thenotion of homogeneity as defined in Landman & Rothstein 2012a e 2012b). We will arguethat homogeneity is a central aspectual property of PPC in EP and that the distinction betweensegmental homogeneity and incremental homogeneity proposed by these authors for 'for xtime' adverbials allows us to explain both readings of this EP tense.
Description: O Pretérito Perfeito Composto do Indicativo (PPC) é um tempo que apresenta certaspeculiaridades em Português Europeu que o distinguem inequivocamente de construçõessimilares em outras línguas. De facto, enquanto, nas restantes línguas, esta construçãoveicula apenas uma eventualidade, em PE surge tipicamente uma leitura de repetição deeventualidades. Assim, na primeira parte deste trabalho, é analisada a natureza desta repetiçãode eventualidades - se se trata de iteração, frequência ou habitualidade. Defenderemos que a mais adequada é a noção de iteração, na medida em que o PPC converte um número nãodeterminado de eventos básicos do mesmo tipo numa única eventualidade, da qual os eventosbásicos são subfases.Contudo, esta leitura iterativa não surge em todos os casos: sob certas condições, o PPCpode ter uma leitura de eventualidade única. Deste modo, na segunda parte deste trabalho,apresentamos uma análise aspetual do PPC que inclui tanto a leitura de eventualidadeúnica como a leitura iterativa, no sentido de fornecer uma explicação unificada para asleituras do PPC. Para isso, recorreremos à noção de homogeneidade tal como é definida emLandman & Rothstein (2012a e 2012b). Defendemos que a propriedade da homogeneidadeé uma propriedade aspetual central do PPC em Português Europeu e que a oposição entrehomogeneidade segmental e homogeneidade incremental proposta por estes autores para osadverbiais do tipo 'for x time' permite explicar ambas as leituras deste tempo gramatical.
Subject: Linguística
Linguistics
URI: https://hdl.handle.net/10216/120634
Document Type: Artigo em Revista Científica Nacional
Rights: openAccess
Appears in Collections:FLUP - Artigo em Revista Científica Nacional

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
336965.pdf227.22 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.