Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/117162
Author(s): Joana Maria Marques do Vale
Title: A Forma do Mobiliário dos Espaços de Aprendizagem e a Arquitetura Escolar - Interação e Relação com as Aprendizagens
Issue Date: 2018-10-30
Abstract: FIRST CHAPTER - THE REINTERPRETATION Nuclear subjects of social and political context were analyzed, such as the educative reforms since the introduction of the open area schools (P3), from 1965, and was built a relationship with the reality of today's school, based on the adaptation of international pedagogical models, which follow the free schools model. The chapter was finalized reinterpreting the new approaches of architectonic project and the new approaches of learning space furniture, and was done a research on the featured assessment tools. SECOND CHAPTER - THE VERIFICATION Analyzing the habits of the students on the learning space as a relationship and not as an influence allowed, to understand that the relationship stablished here, between architecture and design had origin from shape. The physical and measurable space affect the project development, as an architectural project. Which in turn allows to establish the physical contact with the habitant, in this case the school community. By using the learning space, the school community creates an interaction which is stablish between the utilization of the school furniture and the physical space. Being this relationship acknowledged, one can say that the space is related with the architecture, such as the habits of students ar e related with the school community, and the school furniture is related with the design. Briefly, these thematic gave rise to 3 fundamental pillars: the shape of the furniture, the learning space and pedagogies. But how can one justify the growing emergence of innovative learning environments in other countries in the last few decades? The answer consists of considering that different educational models have been implemented. THIRD CHAPTER - THE RESULTS In this chapter the observation took place. For this , it was essential to lay down criteria, in order to select the case examples and case studies. In a first stage, several programs and initiatives that had been promoted by educative reforms were analyzed. In a second stage, the projects with the learning space furniture suitable for the educative model (active) were selected, projects which would offer diverse and pedagogical learning spaces. As for the educational stage, the second cycle and the third cycle (or equivalent) were kept, as originally planned, due to their own complexity, related to the student's age range and related to subject plurality. Besides, the way these interact and combine to humanize and improve the space was also a factor taken into account. Exceptionally, more educational project s were selected due to their teaching and learning space particularities, from a kindergarten to a first cycle school, which allowed to do a comparative analysis. The functionality of the learning environments was studied thoroughly and made possible to set a final framework. The results observation and analysis were a defining step to the real comprehension of both design and architectural needs.
Description: PRIMEIRO CAPÍTULO - A REINTERPRETAÇÃO Analisaram-se conteúdos nucleares de contexto político e social, como as reformas educativas desde a introdução das escolas de áreas aberta (P3), a partir de 1965, e construiu-se uma relação com a realidade da escola de hoje, tendo por base a adaptação de modelos pedagógicos internacionais, que seguem o modelo das escolas livres. Finalizou-se o capítulo reinterpretando as novas abordagens de projeto de Arquitetura e de mobiliário do espaço de aprendizagem e elaborou-se o levantamento de ferramentas de avaliação existentes. SEGUNDO CAPÍTULO - A VERIFICAÇÃO Ao analisar os modos de uso do espaço de aprendizagem, enquanto relação e não enquanto influência, percebeu-se que a relação entre arquitetura e design aqui estabelecida tinha origem na forma. O espaço enquanto físico e mensurável , influência o desenvolvimento do projeto, enquanto projeto de arquitetura. Que por sua vez permite estabelecer o contato também ele físico com o habitante, neste caso a comunidade escolar. A comunidade escolar ao usar o espaço de aprendizagem cria uma interação que é estabelecida entre a utilização do mobili ário escolar e o espaço físico. Assumida esta relação, pode afirmar-se que o espaço está relacionado com a arquitetura, como os modos de uso estão relacionados com a comunidade escolar, e o mobiliário escolar relacionado com o design. Sucintamente, estas temáticas deram origem a 3 pilares fundamentais: a forma do mobiliário, o espaço de aprendizagem e as pedagogias. Mas como se justifica o crescente aparecimento de ambientes de aprendizagem inovadores em outros países nas últimas décadas? A resposta passa por considerar que diferentes modelos educativos foram sendo implementados. TERCEIRO CAPÍTULO - OS RESULTADOS Neste capítulo foi realizada a observação. Para isso foi essencial definir critérios, de modo a selecionar os casos exemplos e os casos de estudo. Numa primeira fase analisaram-se vários programas e iniciativas que tinham sido promovidos por reformas educativas. Numa segunda fase foram selecionados os projetos com mobiliário do espaço de aprendizagem adequado ao modelo ensino (ativo), que oferecessem soluções de espaços de aprendizagem diversificados e pedagógicos. Quanto ao nível de ensino manteve-se o que tinha sido inicialmente previsto, o 2º e 3º ciclo do Ensino Básico (ou equivalente), pela sua complexidade muito própria, relacionada com a faixa etária dos alunos e pela pluralidade das disciplinas. Além disso, a maneira como estas se conjugam e interagem para humanizar e melhorar o espaço também foram características tidas em conta. Excecionalmente, devido às suas especificidades de ensino e de espaço de aprendizagem revelou-se importante selecionar mais projetos educativos, desde um jardim-escola a uma escola básica de 1º ciclo, o que permitiu realizar uma análise comparativa. A funcionalidade destes ambientes de aprendizagem foi abordada com algum destaque e possibilitou estabelecer um enquadramento final . A observação e a análise de resultados foram passos determinantes para a compreensão real das necessidades, não só ao nível do design, mas também da arquitetura. QUARTO CAPÍTULO - AS RECOMENDAÇÕES O desafio de identificar conceitos formais de mobiliário do espaço de aprendizagem, ajustado às novas necessidades destes espaços de aprendizagem permitiu perceber que a evolução de práticas de ensino centradas no professor para um ensino mais centrado no aluno requer do mobiliário e do espaço de aprendizagem uma maior versatilidade. CONSIDERAÇÕES FINAIS Como resultado, as ferramentas de análise deste estudo conseguiram provar que, dependendo da seleção da forma do seu mobiliário, podem ser gerados ambientes de aprendizagens mais dinâmicos e comunicativos. Além do mais, nos casos onde a forma do mobiliário está ajustada às necessidades do quotidiano da escola, há um maior estímulo à liberdade e à flexibilidade de configurações, permitindo a rápida criação de ambientes de aprendizagem multifacetados e motivadores.
Subject: Artes
Arts
Scientific areas: Humanidades::Artes
Humanities::Arts
TID identifier: 101355564
URI: https://hdl.handle.net/10216/117162
Document Type: Tese
Rights: restrictedAccess
Appears in Collections:FAUP - Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
300784.pdf
  Restricted Access
A Forma do Mobiliário dos Espaços de Aprendizagem e a Arquitectura Escolar - Interacção e Relação com as Aprendizagens31.67 MBAdobe PDF    Request a copy from the Author(s)


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.