Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/108876
Author(s): Veloso, João
Title: Palavra mínima em português europeu: a oralização de abreviações = The minimal word in european portuguese: the oralization of abreviated forms
Issue Date: 2017
Abstract: The phonological constraints that define which phonetic chains are eligible to become a word in a given language generally include a Minimality Condition (MC). MC imposes a minimal amount of phonological substance that must be included by any single word of the language. Traditionally, MC is measured in terms of syllable weight or syllabic extension of the word. It has been much debated whether MC corresponds to a truly universal constraint; as for Portuguese, previous studies have been conflicting between the acceptance and the refusal of its productivity in the phonology of the language. In this study, we will assess the functionality of MC for the building of Portuguese lexical entries by means of observing the oralization of abbreviations. This is assumed here as a word-productive process in Portuguese. Based upon an experimental study with a group of native speakers of Contemporary European Portuguese (CEP), we conclude that (i) MC is an operative constraint in the phonology of Portuguese, and (ii) its defining criterion is purely linear and segmental. According to our proposal, MC is respected in CEP when a phonetic chain contains a minimum of three segments, regardless of syllable weight and syllabic extension.
Description: Entre as restrições fonológicas a que qualquer cadeia fonética está obrigatoriamente sujeita para poder ser aceite como uma palavra da língua conta-se a Condição de Minimalidade (CM), que impõe uma quantidade mínima de material fonológico que deve ser contido por qualquer palavra. A CM costuma ser medida em termos de peso silábico ou de extensão silábica. Sendo discutível se se trata de uma restrição verdadeiramente universal, estudos anteriores relativos ao português têm-se dividido quanto à sua operacionalidade na fonologia desta língua. Neste estudo, avaliaremos a funcionalidade da CM na constituição do léxico do português através da oralização de abreviações, assumida como um processo produtivo em português. A partir de um estudo empírico realizado com um grupo de falantes nativos do português europeu contemporâneo (PEC), propomos (i) que a CM seja uma condição fonológica operacional nesta língua e (ii) que o critério a que ela obedece em PEC seja um critério de ordem puramente linear e segmental. De acordo com a proposta aqui apresentada, respeitam a CM em PEC cadeias com três ou mais segmentos, independentemente do peso silábico ou da extensão silábica.
Subject: Linguística
Linguistics
URI: https://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/108876
Document Type: Artigo em Revista Científica Internacional
Rights: openAccess
Appears in Collections:FLUP - Artigo em Revista Científica Internacional

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
231041.1.pdf454.74 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open
231041.pdf430.03 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.