Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/102401
Author(s): Margarida Oliveira Alves
Title: Aquae Flaviae: a Ruína como Imagem de Cidade
Issue Date: 2015-11-04
Abstract: The aim of this dissertation is the interpretation and hypotheticalreconstitution of Aquae Flaviae's urbs and territorium, the roman town fromwhich developed Chaves, in Northeastern Portugal, starting from the drawn studyof archeological surveyed structures and evidence revealed from the analysis ofits present-day urban layout. The moment is the Roman occupation, within ahistorical contextualization that intends to cover the successive steps leading tothe 21th century contemporary morphology, from its fi rst establishment, aroundthe fi rst and second centuries a.d. The fi rst part seeks to establishing theoretical and drawn basis, followingthe identifi cation of time and space, which star this investigation. The challengesof site's morphology, and historical moments that have shaped it, are presentedchronologically, from general to particular, from the geographical situation- topography, hydrography - of Chaves surrounding meadow, to the town'ssocial condition. Ending with the rigorous exposition of the specifi c elements,we intend to set the basis for this interpretation: the results of revealingarcheological surveys of architectural structures dating from Roman times. In the second part, considered practical, we develop the interpretation ofthe urb's structuring modular layout. We start with the accurate determination ofRoman pes measure unit, employed in Aquae Flaviae, and the orientation of itsstructures and, hence, its streets. Thus, the demarcation of the possible cardusand decumanus massimae, the metropolis' structural axes, and the physical limitsof its urban space. Form the pes we determine the passus and the actus, with aproposed design of its insulae. Moving to a more focused frame, we proceeded tothe modular division of some urban structures such as, for example, the thermalbuilding of Arrabalde. In the third part, also practical, we address the question of city'scomplementary territory, bounded by the mountain ranges that defi ne Chaves'salluvial fl oodplain. Since the ager is a complement of the urbs, it makes sense toextrapolate the axes of the second to the fi rst, with an equal previously determinedcorrespondence of the urban unit, this time multiplied to its territorial extent,the centuria. We then proceed to an interpretation for the possible Roman landsurveying layout, the centuriato. The fourth part is the refl ection and presentation of conclusions, alwaysthrough drawings, accompanied by an explanation of our advances , uncertaintiesand assumptions, present in all stages of this investigation.
Description: Esta dissertação tem como objectivo a interpretação e reconstituiçãohipotética do traçado da urbs e do territorium de Aquae Flaviae, a cidaderomana a partir da qual se desenvolveu Chaves, no Nordeste de Portugal,partindo do estudo desenhado das estruturas arqueológicas e indícios reveladosna observação da malha urbana actual. O momento é o da ocupação romana,numa contextualização histórica que pretende abranger as sucessivas etapas quelevaram ao desenvolvimento da morfologia contemporânea do século XXI, desdeo seu primeiro estabelecimento, por volta dos séculos I e II d.C. A primeira parte visa estabelecer as bases teóricas e desenhadas, atravésda identifi cação do espaço e do tempo que protagonizam esta abordagem. Asquestões da morfologia do lugar, e dos momentos históricos que o moldaram,são apresentadas cronológicamente, do geral para o particular, desde a situaçãogeográfi ca - topografi a, hidrografi a - da Veiga de Chaves, às sociais - políticae religiosa - da cidade, terminando com a exposição rigorosa dos elementosconcretos que pretendemos defi nir como base para a nossa interpretação: osresultados das sondagens arqueológicas reveladoras de estruturas arquitectónicasde datação romana. Na segunda parte, considerada prática, de projecto, desenvolvemos ainterpretação, de facto, do traçado estruturador modular da urbs. Começamos peladeterminação rigorosa da medida do pes romano empregue em Aquae Flaviae eda orientação das estruturas e, consequentemente, dos arruamentos da cidade.De seguida, a demarcação do possível posicionamento dos cardus e decumanusmassimae, eixos estruturadores da urbe, e procura dos limites físicos do espaçourbano. Do pes passamos ao passus e, como unidade de medida da cidade, o actus,com uma proposta de dimensionamento das insulae. E assim, avançando paraum enquadramento mais focalizado, procedemos à divisão modular e axial dealgumas das estruturas urbanas como, por exemplo, o edifício termal do Arrabalde. Na terceira parte, igualmente projectual, abordamos a questão do territórioque complementa a cidade, na área delimitada pelos maciços montanhosos quedefi nem a Veiga de Chaves. Uma vez que o ager é complementar à urbs, fará sentidoextrapolar os eixos da segunda para a primeira, com uma igual correspondência daunidade urbana determinada anteriormente, desta vez multiplicada para a medidaterritorial, a centuria. Apontamos, assim, uma interpretação para a possívelorganização cadastral romana, a centuriato, presente no redor de Chaves. A quarta parte apresenta-se como refl exão e apresentação das conclusõesdeste trabalho, sempre de forma desenhada, acompanhadas da explicação dosnossos avanços e hesitações, presentes em todos os momentos de abordagem.
Subject: Artes
Arts
Scientific areas: Humanidades::Artes
Humanities::Arts
TID identifier: 202378187
URI: https://hdl.handle.net/10216/102401
Document Type: Dissertação
Rights: restrictedAccess
Appears in Collections:FAUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
177661.pdf
  Restricted Access
Aquae Flaviae: a Ruína como Imagem de Cidade99.52 kBAdobe PDF    Request a copy from the Author(s)


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.