Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10216/7317
Author(s): Remelhe, Emílio Augusto Figueiredo
Title: Desenho e Palavra - notas sobre a sua relação
Publisher: Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto
FBAUP
Issue Date: 2009-02-12T10:53:59Z
Abstract: Drawing and Word are constituents, in a way or another, of the general human activity. Drawing and Word are detachable by which is irreducible in them: what can be spoken; what can not be touched. Both are depositaries of operative resources and symbolic values that imply a translation, on one hand, in a service that we judge exhaustible; on the other hand, in an irrevocable condition: the one of man as subject of language. Drawing and Word connect us with which most keeps us apart, the subjectivity; and also with which most bring us closer, the idea of objectivity. It is under this condition and under this privilege that the human game find means and matter to repeat itself, to update itself. The relationship that drawing and word establish with each other outlines, in the drawer perspective and when submitted to observation, the operative, reflexive, expressive and communicative possibilities allowed in the artistic production context, those of drawing understood as an experimental practice. In this sense and at a first level, the work here presented observes the mentioned relation by obeying essentially to three critical ideas: the emergence of alphabet, where drawing assists the writings that preceded it; the Modern Drawing, in which both alphabetization and nomination assumed a relevant role; and the artistic practice, focused on inter-semiotic practices and on the intricate contemporary relationship with language. At a second level, informed by the first one, an exercise takes place, an exercise where potentialities of the relationship between drawing and word are revealed by the means of a process that takes them as both mean and matter of work.
Description: Mestrado em Prática e Teoria do Desenho
Desenho e palavra são partilhados, de uma ou de outra forma, pela actividade humana em geral. Separáveis pelo que neles é irredutível, o dizível e o inefável, partilham um desígnio e um património. São depositários de recursos operativos e valores simbólicos que se traduzem, por um lado, num serviço que nos parece inesgotável e, por outro, numa condição irrevogável: a do próprio homem sujeito à e da linguagem. Desenho e palavra ligam-nos ao que mais nos separa, a subjectividade, e ao que mais nos aproxima, a ideia de objectividade. É nesta condição e privilégio que o jogo humano encontra meios e matérias para se repetir, para se actualizar. A relação entre o desenho e a palavra na perspectiva do desenhador oferece contornos que, postos sob observação, revêem pela positiva as potencialidades operativas, reflexivas, expressivas e comunicativas no contexto da produção artística, a do desenho entendido na sua prática experimental. Nesse sentido, e num primeiro nível, o presente trabalho observa a relação em causa em função de três ideias essenciais: a emergência do alfabeto, onde o desenho assiste as escritas que o antecederam; o Desenho Moderno, face ao qual a alfabetização e a nomeação desempenharam um papel relevante; a prática artística, focada no jogo das práticas intersemióticas e na intrincada relação contemporânea com a linguagem. Num segundo nível, informado pelo primeiro, desenvolve-se um exercício onde se evidenciam potencialidades da relação entre o desenho e a palavra, no ensaio de um processo que os toma enquanto meio e matéria de trabalho.
Subject: Desenho
Drawing
Porto
URI: http://hdl.handle.net/10216/7317
Document Type: Dissertação
Rights: openAccess
Appears in Collections:FBAUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Desenho e Palavra.pdf23.13 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.