Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/114659
Author(s): Carvalho, AT
Malta, DC
Barros, MB
Oliveira, P
Mendonça, D
Barros, H
Title: Inequalities in self-rated health: an analysis of the Brazilian and Portuguese populations
Issue Date: 2015
Abstract: Objetivou-se analisar a prevalência de saúde autoavaliada como ruim, segundo variáveis sociodemográficas e presença de doença crônica, em populações do Brasil e de Portugal. Foram estudados 13.894 indivíduos (≥ 30 anos) das capitais do Nordeste do Brasil (VIGITEL 2011) e 20.579 de Portugal (4o INS 2005/2006). Utilizou-se a Regressão de Poisson para as análises de associação ajustadas por covariáveis. As prevalências brutas de saúde percebida como ruim, para o Nordeste do Brasil e para Portugal, em homens, foram de 4,3% e de 15,5%. A razão de prevalência (RP) foi de 2,72 (IC95%: 2,70-2,74) após a padronização por faixa etária. Para mulheres, as prevalências foram 8,1%, para o Brasil, e 25,1%, para Portugal (RP: 2,40; IC95%: 2,39-2,42). A variável que revelou desigualdades na saúde autoavaliada como ruim, em maior intensidade, foi a escolaridade, em ambas as populações. A presença de doença teve efeito maior nos brasileiros do que nos portugueses, em ambos os sexos. As prevalências de saúde autoavaliada como ruim foram significativamente mais elevadas para Portugal, em todos os agrupamentos estudados.
Subject: Autoavaliação
Desigualdades em Saúde
Inquéritos Epidemiológicos
URI: http://hdl.handle.net/10216/114659
Source: Cad Saude Publica, vol. 31(11), p. 2449-2461
Document Type: Artigo em Revista Científica Internacional
Rights: openAccess
Appears in Collections:ISPUP - Artigo em Revista Científica Internacional

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TelesCarvalhoAMaltaD2015.pdf203.48 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.