Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/112881
Author(s): Ester Maria Reis Gomes Silva
Title: Structural Change and Economic Growth. A Longitudinal and Cross-Country Study
Issue Date: 2008-12-10
Description: O presente trabalho tem como objectivo principal contribuir para um maior conhecimento do processo de crescimento económico Português ocorrido nas últimas três décadas, considerando explicitamente a relação entre mudanças ocorridas ao nível sectorial e transformações de natureza macroeconómica. Embora este assunto tenha sido objecto de análise em trabalhos anteriores, várias questões relevantes relacionadas com a interacção entre progresso tecnológico, mudança estrutural e crescimento económico permaneceram em aberto. Estas questões são abordadas neste trabalho, que tem na teoria neo-Schumpeteriana a sua fundamentação teórica principal. Após uma primeira parte onde é realizada uma revisão da literatura relevante na área de conhecimento em questão, a análise da relação entre tecnologia, mudança estrutural e desempenho macroeconómico é abordada, utilizando a metodologia shift-share. Esta metodologia é aplicada considerando diferentes desagregações da actividade económica e utilizando a produtividade total de factores como medida de produtividade. São também tidos em conta os efeitos de Verdoorn no cômputo da relevância do efeito de mudança estrutural. A consideração explícita do factor capital na mensuração do crescimento da produtividade revela que o desempenho da economia Portuguesa entre 1977 e 2003 foi globalmente medíocre. Os resultados revelam ainda que os reduzidos ganhos de produtividade decorreram sobretudo da transferência de trabalho e de capital entre sectores, mais do que de ganhos de produtividade intra-sectoriais. Os benefícios inerentes à mudança estrutural ocorreram, no entanto, no interior dos grandes grupos de actividade da economia Portuguesa, que sofreram poucas alterações ao longo do período em estudo. De facto, no final deste período, a economia Portuguesa conserva os seus principais traços estruturais, registando um grande relevo de actividades com uso intensivo de mão-de-obra pouco qualificada e com reduzida intensidade tecnológica. A última parte da tese é dedicada à análise da relação entre a importância relativa de actividades tecnologicamente avançadas na estrutura produtiva e o crescimento da produtividade do trabalho. Para este efeito é estimada uma regressão com dados em painel onde, para além de Portugal, são considerados países que no início do período em estudo possuíam características estruturais idênticas ao caso Português, mas que observaram trajectórias de crescimento muito diversas no período em análise. Os resultados sustentam empiricamente a hipótese segundo a qual os países com maior capacidade de proceder a transformações efectivas da sua estrutura produtiva em torno de actividades tecnologicamente mais avançadas beneficiam de um crescimento superior da produtividade do trabalho. Em simultâneo, a evidência obtida confirma o carácter estratégico das actividades directamente relacionadas com as tecnologias de informação e de comunicação, ainda que tal aconteça unicamente para actividades produtoras destas tecnologias. Este facto sublinha o carácter local dos efeitos de spillover decorrentes de actividades económicas tecnologicamente mais avançadas.
Subject: Economia e gestão
Economics and Business
Scientific areas: Ciências sociais::Economia e gestão
Social sciences::Economics and Business
URI: https://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/112881
Document Type: Tese
Rights: openAccess
Appears in Collections:FEP - Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
273406.pdfThesis4.85 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.