Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/10042
Author(s): Magalhães, Maria Manuela Almendra
Title: A Invisibilidade da prática de enfermagem e a face qualificante do hospital : Um estudo de caso
Publisher: Universidade do Porto. Reitoria
Issue Date: 1999
Abstract: A tendência para separar a formação em contexto de trabalho, da formação escolar, parece pressupor que os contextos de trabalho e exercício profissional dos enfermeiros não são produtores de competências profissionais, que importam reconhecer e integrar no reconhecimento da própria profissão.As tendências analisadas sugerem que o hospital é apenas um espaço de exercício de competências profissionais adquiridas nos contextos de formação, e não uma organização qualificante que produz, promove e reconhece competências, ao mesmo tempo que contribui para o não reconhecimento e para a desvalorização de outras competências.A ideia de que as organizações são um campo de formação, produtoras de competências profissionais necessárias ao desenvolvimento pessoal e à melhoria da qualidade dos serviços, bem como a ideia de que estas organizações produzem a própria profissão, são relativamente recentes. Estas ideias, exigem no entanto que a enfermagem, num hospital encarado como um espaço qualificante, seja reflectida e incorporada na própria construção da autonomia profissional.É neste contexto que se insere o nosso trabalho.Interessou-nos saber até que ponto o hospital promove o desenvolvimento profissional da enfermagem, até que ponto a sua cultura organizacional aceita e contribui para o desenvolvimento da enfermagem como profissão, para o reconhecimento das suas competências, dos seus saberes e dos papeis que as enfermeiras informalmente exercem.O desenvolvimento da pesquisa fez-se de forma indutiva a partir da problemática e de quatro questões orientadoras. A análise dos dados permitiu-nos caracterizar o quotidiano das enfermeiras que se desenrola em torno de duas faces, contrastantes, do Hospital - A Face Visível, Previsível, Formal Executiva e Qualificada e a Face Invisível, Imprevisível, Informal e Qualificante. Este contraste exprime-se em torno de quatro dimensões. A saber: a comunicação oral e escrita; a complexidade das competências no trabalho não formal e ...
Description: Dissertação de Mestrado em Ciências de Enfermagem apresentada ao Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar da Universidade do Porto
URI: http://hdl.handle.net/10216/10042
Document Type: Dissertação
Rights: openAccess
Appears in Collections:ICBAS - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2572_TM_01_C.pdfVolume 01 Cores40.56 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open
2572_TM_01_P.pdfVolume 01 Preto & Branco7.32 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open
2572_TM_02_C.pdfVolume 02 Cores20.19 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open
2572_TM_02_P.pdfVolume 02 Preto & Branco3.83 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.