Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/54658
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorFaria, Sandrapt_PT
dc.creatorFaria, Helena Isabel da Rochapt_PT
dc.date.accessioned2011-04-21T11:29:58Zpt_PT
dc.date.accessioned2013-07-30T13:55:44Z-
dc.date.available2011-04-21T11:29:58Zpt_PT
dc.date.available2013-07-30T13:55:44Z-
dc.date.issued2009pt_PT
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10216/54658pt_PT
dc.descriptionContém um relatório de estágio curricular realizado no Hospital São Sebastião de Santa Maria da Feira e no Refúgio do Amanhecer, Penafiel, no âmbito da licenciatura em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto. O exemplar do relatório de estágio existe apenas em formato papel e está disponível para consulta na Biblioteca da FCNAUPpt_PT
dc.descriptionTese de licenciatura em Ciências da Nutrição apresentada à Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Portopt_PT
dc.description.abstractResumo da tese:A resistência à insulina e a diabetes mellitus tipo 2 atingiram proporções epidémicas nos últimos anos. A maioria dos casos de diabetes mellitus tipo 2 tem como base o aumento da resistência à insulina, sendo que anos podem separar o aparecimento destas duas condições. A sua prevenção ou tratamento, são objectivos que mantêm a comunidade científica na busca de alternativas aos meios até agora utilizados para o aumento da sensibilidade à insulina (antidiabéticos orais em conjunto com modificações do estilo de vida). O crómio é um oligoelemento que tem despertado interesse neste sentido. A sua deficiência está por exemplo, associada a alterações relacionadas com a diabetes: resistência à insulina e diminuição dos seus receptores, intolerância à glicose e incapacidade de a utilizar como fonte de energia. O crómio presente nos alimentos é o crómio trivalente (Cr3+), sendo também a forma utilizada na suplementação, quer em formulações orgânicas quer inorgânicas. Nos alimentos, a sua distribuição é ampla e geralmente em pequenas quantidades, o que dificulta o cumprimento do valor de Ingestão Adequada estabelecido. Além disso, existem muitos factores (alimentares ou estados de doença como a diabetes) a influenciar a sua absorção e excreção. A eliminação de estados de deficiência deste micronutriente, pode estar na base dos benefícios encontrados na resistência à insulina ou já na presença de diabetes mellitus tipo 2. A necessidade de suplementação surgiu pelo facto de o crómio de origem alimentar ter uma percentagem de absorção muito baixa (0,5 a 2%), factor que é aumentado nos suplementos, sendo a biodisponibilidade diferente conforme a formulação. (...)pt_PT
dc.description.abstractThesis abstract: Insulin resistance and type 2 diabetes mellitus raised in epidemic proportions for the last years. Most of the type 2 diabetes mellitus cases have their origins in insulin resistance although years can separate the appearance of this two conditions. Their prevention or treatment became goals that the scientific community pursuits in the search for alternatives to the most common means used so far to increase insulin sensitivity (oral antidiabetic medication and lifestyle changes). Chromium is a trace element that has raised interest in this matter. Its deficiency is, for example, associated with changes related to diabetes: insulin resistance and decrease of its receptors, glucose intolerance and inability to use it as energy source. Dietary chromium is in the form of trivalent chromium (Cr3+) and this is also the form used both in organic and inorganic nutritional supplements formulations. In food, chromium is widely distributed generally in small amounts, which makes it difficult to accomplish the established Adequate Intake. Besides, there are many factors (dietary or disease states as diabetes) that affect/influence chromium absorption and excretion. The elimination of these trace mineral deficiency states, seams to be in the basis of its benefits in insulin resistance and type 2 diabetes mellitus. Dietary chromium is absorbed in small amounts (0,5-2%), and this fact has created the need of more bioavailable forms of chromium through supplementation. Different chromium formulations have different bioavailabilities. Here, themes which haven’t achieved consensus will be discussed, such as: chromium mechanism of action, characteristics of different supplement formulations and potential overdose risks. (...)pt_PT
dc.format2 vols.(tese + relatório)pt_PT
dc.format.extent30 cmpt_PT
dc.language.isoporpt_PT
dc.publisherPorto : edição de autorpt_PT
dc.rightsopenAccesspt_PT
dc.source.urihttp://catalogo.up.pt/F?func=find-b&find_code=SYS&request=000127678pt_PT
dc.subjectUniversidade do Porto, Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação, Licenciatura em Ciências da Nutrição--Dissertaçõespt_PT
dc.subjectCiências da Nutrição--Tese de licenciaturapt_PT
dc.subjectÁreas de estágio--Nutrição Clínica--Nutrição Comunitária (Saúde Pública)--Restauração e Alimentação Colectiva--Relatório de estágiopt_PT
dc.subjectDiabetes Mellitus Tipo 2pt_PT
dc.subjectSuplementação Dietéticapt_PT
dc.titleA suplementação de crómio na resistência à insulina e diabetes mellitus tipo 2 : monografia : chromium supplementation in insulin resistance and type 2 diabetes mellituspt_PT
dc.typeTrabalho Académicopt_PT
Appears in Collections:FCNAUP - Trabalho Académico

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
127678_0935TCD35.pdf233.04 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.