Utilize este identificador para referenciar este registo: https://hdl.handle.net/10216/150276
Autor(es): Ana Carolina Freitas Ribeiro
Título: Systematic review: Is there a connection between the fetal growth restriction due to placental insufficiency and hypospadias in single pregnancies?
Data de publicação: 2023-05-17
Resumo: Introduction: The origin of hypospadias is uncertain and thought to involve genetic and environmental factors. Our aim is to comprehend the correlation between fetal growth restriction (FGR) due to placental insufficiency and hypospadias in single pregnancies. Material and Methods: We performed a systematic review searching on PubMed, Web of Science and Scopus databases. Articles evaluating the association between fetal growth restriction due to placental insufficiency and hypospadias in single pregnancies are included. A total of 12 studies were included, and their relevant data were extracted and qualitatively analyzed. The risk of bias was measured using the NIH Study Quality Assessment Tool. Results: Seven articles reported that fetal growth restriction and small for gestational age are important risk factors for the development of hypospadias. Four studies concluded that low birthweight is associated with the higher prevalence of hypospadias. Only one study found no significant differences between the birthweight of boys with and without hypospadias. In four studies anatomopathological evaluations of the placenta was performed, and in all signs of placenta dysfunction was more frequent in infants with hypospadias. Five studies evaluated the weight of placenta, and concluded that weight of placenta of boys with hypospadias was lower than weight of placenta of healthy boys. Two studies found preeclampsia as a risk factor for hypospadias. Discussion: Our results highlight fetal growth restriction as a potential cause of increased prevalence of hypospadias. Placental dysfunction may be the underlying mechanism, considering that children with hypospadias, in addition to having lower birthweight, also had placenta with lower weight and more anomalies. The major limitations of our review are the differences in methodology of the studies included, most of them conducted several years ago. Conclusion: Our systematic review confirms an association between fetal growth restriction and hypospadias.
Descrição: Introdução: A etiologia de hipospadia é incerta e acredita-se que envolva fatores genéticos e ambientais. O nosso objetivo é compreender a correlação entre restrição de crescimento fetal por insuficiência placentária e o surgimento de hipospadia em gestações únicas. Materiais e Métodos: Foi realizada uma revisão sistemática com base na pesquisa nas bases de dados PubMed, Web of Science e Scopus. Foram incluídos artigos que avaliam a associação entre restrição de crescimento fetal devido à insuficiência placentária e hipospadia em gestações únicas. No total 12 estudos foram incluídos, sendo que os seus dados relevantes foram extraídos e analisados qualitativamente. O risco de viés foi avaliado usando a NIH Study Quality Assessment Tool. Resultados: Sete artigos concluíram que a restrição de crescimento fetal e o facto de ser pequeno para a idade gestacional são importantes fatores de risco para o desenvolvimento de hipospadia. Quatro estudos concluíram que o baixo peso ao nascimento está associado à maior prevalência de hipospadia. Apenas um estudo não encontrou diferenças significativas entre o peso ao nascimento de recém-nascidos com e sem hipospadia. Em quatro estudos foi realizada uma avaliação anatomopatológica da placenta, e todos mostraram que sinais de disfunção placentária surgem mais frequentemente em recém-nascidos com hipospadia. Cinco estudos avaliaram o peso da placenta e concluíram que o peso da placenta de recém-nascidos com hipospadia era menor do que o peso da placenta de recém-nascidos saudáveis. Dois estudos indicaram pré-eclâmpsia como fator de risco para hipospadia. Discussão: Os resultados apresentados destacam a restrição do crescimento fetal como uma potencial causa do aumento da prevalência de hipospadia. A disfunção placentária parece ser o mecanismo subjacente, visto que crianças com hipospadia, além de terem menor peso ao nascimento, também apresentavam placenta com menor peso e mais anomalias. As principais limitações da nossa revisão são as diferenças na metodologia dos estudos incluídos, e o facto da grande maioria ter sido realizado já há vários anos. Conclusão: Esta revisão sistemática confirma a associação entre restrição do crescimento fetal e hipospadia.
Assunto: Medicina clínica
Clinical medicine
Áreas do conhecimento: Ciências médicas e da saúde::Medicina clínica
Medical and Health sciences::Clinical medicine
Identificador TID: 203520122
URI: https://hdl.handle.net/10216/150276
Tipo de Documento: Dissertação
Condições de Acesso: openAccess
Licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
Aparece nas coleções:FMUP - Dissertação

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
630518.pdfSystematic review: Is there a connection between the fetal growth restriction due to placental insufficiency and hypospadias in single pregnancies?1.6 MBAdobe PDFThumbnail
Ver/Abrir


Este registo está protegido por Licença Creative Commons Creative Commons