Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10216/129933
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorInês Rodrigues Guimarães
dc.date.accessioned2021-05-31T23:19:12Z-
dc.date.available2021-05-31T23:19:12Z-
dc.date.issued2020-10-20
dc.date.submitted2020-09-29
dc.identifier.othersigarra:428007
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/10216/129933-
dc.descriptionSurge na China, em finais do ano de 2019, um surto epidémico causado por um novo coronavírus com elevado potencial de transmissão e infeção humana - tendo sido nomeado de SARS-CoV-2 ou COVID-19 -, que passa a ser caracterizado pela OMS como pandemia em Março de 2020. A história da humanidade engloba, no seu âmago, eventos tanto de caracter epidémico como pandémico, e a realização de estudos no âmbito destes contextos revela que, devido à sua natureza atípica, estes incitam profundas mudanças nas rotinas de vida dos sujeitos e na estrutura das dinâmicas sociais. Impulsionam, adicionalmente, profundas consequências para a saúde mental daqueles que os vivenciam. A presente revisão sistemática teve como objetivo fazer a integração de diferentes estudos recentes, realizados no âmbito da pandemia de SARS-CoV-2, de modo a sumarizar os seus principais resultados e servir de base para investigações futuras. A fim de cumprir os objetivos propostos, recorreu-se a seis bases de dados, pesquisa esta que resultou na extração de 712 artigos, dos quais 39 foram incluídos após o processo de seleção com base nas diretrizes do PRISMA e dos critérios de inclusão e exclusão estabelecidos. A análise dos resultados principais e de relevo para o estudo foram agrupados em subcategorias distintas: Depressão, Ansiedade, Stress e Distress Psicológico, Perturbação do Stress Pós-Traumático e outras variáveis psicológicas, onde o Medo se destaca. Os principais resultados desta revisão sistemática demonstraram que sujeitos pertencentes ao género feminino reportam maior impacto psicológico, manifestado através de níveis mais elevados de sintomatologia depressiva e ansiosa, assim como uma maior tendência para o stress e distress psicológico e maior potencial suscetibilidade ao desenvolvimento de sintomas compatíveis com o diagnóstico de PSPT. Poucos foram os estudos que, apresentando diferenças estatisticamente significativas entre géneros nestas variáveis psicológicas, apontaram para um maior prejuízo psicológico em indivíduos do género feminino.
dc.language.isopor
dc.rightsrestrictedAccess
dc.subjectPsicologia
dc.subjectPsychology
dc.titleGénero e o impacto psicológico do SARS-CoV-2: uma revisão sistemática da literatura
dc.typeDissertação
dc.contributor.uportoFaculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
dc.identifier.tid202540987
dc.subject.fosCiências sociais::Psicologia
dc.subject.fosSocial sciences::Psychology
thesis.degree.disciplineMestrado Integrado em Psicologia
thesis.degree.grantorFaculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
thesis.degree.grantorUniversidade do Porto
thesis.degree.level1
Appears in Collections:FPCEUP - Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
428007.1.pdfGénero e o impacto psicológico do SARS-CoV-2: uma revisão sistemática da literatura887.93 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open
428007.pdf
  Restricted Access
Parecer do Orientador_NunoGaspar125.28 kBAdobe PDF    Request a copy from the Author(s)


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.