Utilize este identificador para referenciar este registo: https://hdl.handle.net/10216/124630
Autor(es): Mariana Helena Godinho da Silva
Título: Em Ruína: O território da Estrada da Circunvalação do Porto como última "muralha" da cidade
Data de publicação: 2019-11-08
Resumo: The objective of this dissertation is to contribute for a reflection about the space of ruins and what they represent nowadays, in the "city" and the territory. We look to position this study in the disciplanary realm of Architecture, by moving away from a more contemplative/turistic view of ruins. In this case, the theme of "ruins" associated to the territory, is reflected in permanent and invisible elements, that together with the main urban tissue make the current urban reality. This are the elements "in ruins", that did not appear from acts of conservation or "mummification", but in fact resulted from urban transformations that came from our own intervention (or lack of) over the territory. Which leads us to question the ways urban planning is practiced and how it can have contributed for the stagnation of determine parts of the territory. This way, what lesson, about the present, can we take from the association of ruins and territory? Considering the big changes suffered by the city of Porto in the last centuries, in terme of density and urban sprawl, we find in Estrada da Circunvalação (ring road) of Porto, an old tax and administrative barrier in which the is a materialization of the theme of obsolescence in the context of the outskirts of town. The association of the theme of ruins to this reality allows us to approach the different processes of urban sprawl and the impact of this infra-estructure may have had in the stagnation of the same territory nowadays. Therefore, as a starting point of this study, we consider Estrada da Circunvalação as more than its infra-estructural function in the traffic, as it also is the "last city wall" of Porto. This border feature allows us to explore the current urban situation, which is made out of a series of conflicts and dualities, like center/suburbs, territory/landscape or frontier/sprawl, putting the theme of "ruins" at the servica of a better comprehension of the big problems featured by the present city. Are we in front of a pathological permanence, that prolonged an urban numbness? Or is it the inevitability of the process of an unplanned urban sprawl? Finaly, with this dissertation we intend to question the meaning of ruptures and "permanences" in the urban context, constructing a reflection about what this interruption in time represents and what is its function and symbolism and moreover its relationship with society and the urban situation.
Descrição: Esta dissertação tem como objectivo contribuir para a reflexão sobre qual o espaço da e o que representa a ruína na contemporaneidade, na "cidade" e no seu território. Procura-se, portanto, posicionar este estudo a partir do campo disciplinar da Arquitectura, afastando-o da perspectiva mais contemplativa/turística do arruinado. Nesse sentido, a temática da ruína associada ao território, vê-se reflectida nas permanências e invisibilidades, que juntamente com o tecido urbano compõem as realidades urbanas actuais. Esses são, portanto, os elementos "em ruína", que não resultaram de actos de conservação/mumificação, mas sim de transformações urbanas cadentes resultantes da nossa própria intervenção (ou falta de) sobre o território. O que nos leva a questionar a forma como as práticas de ordenamento do território podem ter contribuído para a estagnação de partes do território? E assim, que lição sobre a contemporaneidade podemos retirar da associação do tema da ruína ao território? Tendo em conta as grandes transformações sofridas pela cidade do Porto nos últimos séculos, em termos de densidade e expansão, encontramos na Estrada da Circunvalação, como antiga barreira fiscal e administrativa, a materialização da temática da obsolescência num contexto periférico de transição. A associação do tema da ruína a esta realidade do território portuense permite abordar os diferentes ritmos do seu processo de urbanização periférico e o impacto que esta infra-estrutura possa ter tido sobre a aparente estagnação do mesmo na actualidade. Portanto, como ponto de partida deste estudo, considera-se que o papel da Estrada da Circunvalação no território se estende além da sua função infra-estrutural rodoviária, ao impor-se como a "última muralha" da cidade do Porto. Esta sua característica limítrofe permite-nos, ainda, explorar uma situação urbana marcada por uma série de conflitos e dualidades, como centro/periferia, território/paisagem ou fronteira/expansão, colocando assim o tema da ruína ao serviço da compreensão das grandes problemáticas da "cidade" na contemporaneidade. Estaremos, então, perante uma permanência, que prolongou uma situação de adormecimento urbano? Ou serão estes inevitáveis resultados de um processo de expansão errático? Finalmente, com esta dissertação pretende-se, a partir dos territórios da ruína, questionar o sentido das rupturas e permanências no território da cidade, produzindo assim uma reflexão sobre o que essa "interrupção" no tempo representa e qual a sua função e simbolismo, assim como a sua relação na sociedade e na urbanidade.
Assunto: Artes
Arts
Áreas do conhecimento: Humanidades::Artes
Humanities::Arts
Identificador TID: 202631753
URI: https://hdl.handle.net/10216/124630
Tipo de Documento: Dissertação
Condições de Acesso: openAccess
Aparece nas coleções:FAUP - Dissertação

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
369450.pdfEm Ruína: O território da Estrada da Circunvalação do Porto como última "muralha" da cidade398.48 MBAdobe PDFThumbnail
Ver/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.